O filme

O filme

O filme

Me chamo Carlos Augusto, tenho 18 anos, sou magro 1,78 de altura,. Moreno claro moro na cidade de São Paulo.
Quando eu tinha 5 anos meus pais se separaram e minha mãe foi embora para a Europa e lá mora até hoje.
Meu Pai demorou alguns meses e se casou com Suzana, uma mulher muito bonita, loira, 1,70 de altura, hoje tem 35 anos. Eles tiveram mais um filho, uma menina que hotel tem 5 aninhos.

Quando iniciei a transição para a puberdade, Suzana se tornou minha inspiração para as diversas punhetas que batia todos os dias. Suas calcinhas que deixava no banheiro eram diariamente sujas com minha porra, que fazia questão de gozar bem no forró onde ficava sua bucetinha.

Eu não aguentava mais o tesão que sentia por ela. A minha madrasta não desconfiava de nada pois eu era bem discreto, não deixava transparecer toda explosão de tesão que tinha comido.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quando Ela saía de casa, eu corria nas suas gavetas de calcinha e batia punheta ali mesmo, gozando na mão e jogando fora no vaso sanitário. Eu já sabia quantas e quais calcinhas Ela tinha.

Eu estudava de manhã e a tarde ficava em casa. Minha irmãzinha estudava a tarde. Eu ficava a tarde toda com Ela em casa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Um dia de inverno, deu um temporal muito forte aqui na cidade. Muito chuva e a cidade ficou toda alagada. Quando ocorre esse tipo de situação meu pai demora para chegar em casa. É ele quem pega minha irmãzinha no colégio todos os dias.

Era umas três horas da tarde e a chuva não parava. Frio e chuva, receita ideal para ver um filme na TV. Suzana pegou um cobertor, deitou no sofá me chamou e perguntou se não queria ver um filme com Ela. Na época Eu tinha 18 anos. Claro que quiz ver o filme. Ela colocou no Netflix e começou a escolher o filme. Eu sentei no canto do sofá e ela colocou seus pés no meu colo.

Ela colocou no filme 50 tons de cinza, me falou que ia ver esse porque suas amigas falavam muito e que tinha curiosidade de ver.

Quando o filme começou e começaram as cenas picantes, meu pau foi ficando duro que nem uma pedra. Os pés dela no meu colo e meu pau duro encostado neles. Eu me mexia e o pau roçava na perna dela.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Com certeza Ela estava notando pois não tirava a perna dali e de vez em quando mexia no meu pau com seus pés. Na metade do filme eu já não aguentava mais, ia gozar ali mesmo. Pedi para Ela dar pausa no filme para fazer pipoca.

Ela concordou e foi na cozinha. Não demorou muito e voltou com uma penela cheia de pipocas. Ficamos sentados comendo pipocas e vendo o filme. Quando terminamos ela deitou e perguntou se não queria deitar também. Falei que o sofá era apertado. Foi então que ela me surpreendeu. – Vamos fazer assim então, tem Netflix na tv do quarto vamos terminar de ver o filme lá.

Fomos para a sua cama, ela puxou um cobertor e deitamos para terminar de ver o filme. Meu pau parecia explodir a qualquer hora. Era cada cena daquele filme, e com certeza ela também estava com muito tesão. Aos poucos fui me encostando nela. Fui me chegando.

Não demorou muito eu estava colado no corpo Dela, que não falava nada. Teve um momento que ela ficou de lado, ficando se bunda pra mim. Eu fui encostando e encochei bem na sua bunda. Ela não falava nada. Fingia ver o filme. Minha mão logo estava alisando suas pernas. Ela de repente perguntou se estava gostando do filme. Falei que sim. Ela disse, que filme bom né? Vem cá chaga mais pertinho de mim.

Ela estava louca de tesão. Pegou no meu pau, tirou pra fora e começou. Tocar punheta. Que pau duro. Que lindinho. Tirou toda minha roupa e começou a chupar. Aí que delícia. Ela chupava até ao talo, pois não era muito grande. Não demorou muito e meu gozo veio. Dei uns gemidos fortes, pois era muito bom. Não deu nem tempo de avisar que ia gozar. Os jatos de porra foram na sua garganta. Ela continuou chupando até não ter mais nada para sair. Engoliu tudo.

Sem falar nada, tirou sua roupa ficando peladinha . Abriu as pernas e mandou eu chupar sua buceta. Me esfregava aquele bucetão na minha cara, me lambuzando tudo. Não demorou muito e gozou forte, dando uns gritos.
Nessa altura meu pau já estava duro de novo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Então Ela mandou eu enfiar na sua buceta. Eu que nunca tinha comido uma buceta, logo fui pra cima dela e o pau escorregou para dentro. Ela rebolava em baixo e meu pau entrava e saiu daquela buceta gostosa. Não demorou muito e ela gritou que ia gozar de novo.

Me cravou as unhas nas costas e gemeu forte. Eu também gozei jogando porra dentro de sua buceta. Cai do lado cansado. Ela levantou, foi no banheiro se limpou e voltou. Desligou a TV e falou para não comentar isso com ninguém. Que sabia das punhetas que batia nas suas calcinhas. Que ia deixar todo dia uma calcinha no banheiro para mim bater e se ficasse quietinho e não fizesse besteira, iria repetir o que fizemos outras vezes. Isso já faz dois anos,já repetimos várias vezes e ninguém desconfia de nada.

Deixe um comentário