Daisy e eu na balada

Daisy e eu na balada

Daisy e eu na balada

Olá pessoal, sou Nicolas e já contei a minha história num dos contos, história essa que eu conheci o amor da minha vida Daisy. Hoje eu vou contar uma das nossas aventuras nesse nosso relacionamento, antes de tudo vou falar sobre os meus atributos.

Tenho 24 anos, sou alto e branco, cabelo preto e curto, olhos castanhos, sou magro e tenho um sorriso muito bonito, meu pau é de tamanho médio com seus 17cm, não é tão grande, mas satisfaz os prazeres de Daisy. Já ela é uma morena linda, seus seios são de médio pra grandes, bem deliciosos e durinhos, ela tem uma barriguinha de tanquinho deliciosa, uma pele linda, além de um bundao, coxão e uma boca linda.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ela tem cabelos curtos e morenos e um brinquedo bem gostoso, quando eu a conheci ele era de tamanho médio (15cm), hoje depois de 1 ano de namoro, o pau de Daisy cresceu e ficou maior que o meu, mas necessariamente 20 cm de rola, uma coisa bem gostosa.

Como eu estava dizendo estamos namorando há um ano, moramos juntos e nos divertimos sempre. Durante esse ano, Daisy fez procedimentos de beleza como: lipoaspiração, colocou um pouco de silicone e viu seu pau crescer 5 cm, devo dizer que a parte do pau dela crescer me animou mais, adoro chupar o pau da minha gostosa, ela tem um gostinho único que me faz delirar a cada boquete, ela geme de tesão e depois me faz delirar numa bela foda.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Vou contar pra vocês uma aventura que tivemos num dia, era uma sexta feira e era um dia especial, era aniversário de uma amiga de Daisy e ela tinha reservado uma casa de festas pra armar uma tremenda comemoração. Estávamos ansiosos pra festa desde hoje cedo, eu não iria pro trabalho hoje e Daisy tinha ido para o seu trampo, ela tinha largado os programas e entrado numa empresa de telemarketing, fiquei a tarde toda sozinho até que a noite chegava e a festa se aproximava, Daisy chegou em casa e partiu pro chuveiro, eu que não sou bobo nem nada fui atrás dela e tomei banho com Daisy, no chuveiro nos agarramos e nos beijamos, uma delícia, depois disso saímos do chuveiro e fomos nos arrumar.

Daisy usou uma roupinha bem safada pra festa, ela estava com uma blusa preta com um belo decote e a barriga aparecendo, uma saia de colegial quadriculada, meias até as coxas, salto alto, um batom vermelho na boca e uma lingerie bem pequena por baixo disso tudo.

Eu coloquei uma calça jeans e uma camisa azul, pegamos um táxi e fomos pra festa, chegando lá a casa de festas estava um pouco cheia, a festa estava no começo, Daisy cumprimentou sua amiga (também travesti) e foi logo intimada para ajudar ela, Daisy estava sendo puxada e olhou pra mim dizendo:

– Vou ajudar ela, depois nos vemos

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Eu sorrir pra ela e a mandei um beijo, depois disso fui atrás de um lugar pra sentar, a música já rolava e o movimento estava grande, do nada eu olho pra trás e vejo uma mesa, vou até lá e sento, uns minutinhos depois um cara vem até mim e me pergunta se poderia sentar ali, eu concordei e ele se sentou. Passa uns minutos e esse mesmo cara puxa assunto comigo, eu respondo as perguntas e ele continua com o papo, passa um momento que eu descubro que esse cara era ex namorado da aniversariante, eu continuo a conversa e vamos nos animando, dar uns 20 minutos e eu digo a ele que vou ao banheiro (meio que pra me livrar dele), no banheiro começo a usar o mictório até que o mesmo cara entra no banheiro, eu finjo que curto a companhia dele e ele me dar um sorriso, ele começa a usar o mictório do meu lado, ao mesmo tempo ele olha para o meu pau e diz:

– Nossa ele parece ser gostoso

Eu não entendo e falo:

– O quê?

– Seu pau deve ser gostoso

Eu não falo nada e ele continua:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

– Quer ver o meu

Eu desconverso e ele insiste:

– Ver o meu pau

Eu olho e vejo que é um pau grande e gostoso, não consigo disfarçar e ele dar um sorriso. Acabamos de mijar e com um impulso eu o levo pra uma cabine, me abaixo, tiro o pau dele da calça e começo a chupar aquele pau gostoso, o carinha começa a gemer de tesão e eu adoro ouvi isso, chupo com vontade e dedicação, ele me pega pela nuca e direciona meu boquete, que pau gostoso, era o primeiro pau de homem que eu chupava,

Daisy nem poderia imaginar que estava fazendo aquilo, continuo chupando o pau e as vezes chupo suas bolas, o carinha começa a forçar o pau todo na minha boca e começo uma garganta profunda, chupo e chupo olhando para ele e com muito tesão, não demora muito para ele gozar dentro da minha boca, eu engasgo e engulo o leitinho quente dele, depois disso eu levanto e nos beijamos na boca, o carinha sai da cabine e eu também, falo pra ele que ninguém poderia saber disso e ele dizia que ninguém poderia saber que ele estava na festa, nos despedimos e saímos do banheiro, eu o vi saindo da casa de festas e me relaxei, sabendo que a Daisy não iria saber que eu fiz um boquete num homem.

Depois disso, percebi que a festa já estava rolando e Daisy poderia está livre, então fui atrás dela, ao mesmo tempo decidi colocar uma bala na boca pra disfarçar o cheiro de porra que eu tinha engolido, quando fui atrás da minha gostosa ela apareceu e me deu um abraço, depois do abraço fomos curtir a festa, dançamos, bebemos, rimos muito até que durante uma dança o tesão foi subindo, Daisy estava de costas pra mim e grudada no meu corpo, eu encoxava ela e ela sentia meu tesão aparecendo, eu beijava o pescoço dela e nossa conexão estava forte, não demorou muito eu fui até os ouvidos de Daisy e disse:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

– Amor, vamos no banheiro pra eu te mostrar uma coisa

Ela se virou pra mim e deu um sorrisinho sacana, me beijou e respondeu que sim. Ela me pegou pela mão e foi me levando até o banheiro, eu tocava nela enquanto não chegávamos. Chegando lá, ela foi logo me puxando até ela e beijando minha boca, agarrei ela e comecei a me esfregar nela, ficamos nessa um bom tempo ate que eu lembrei que estávamos num banheiro público e que qualquer hora poderia entrar alguém ali, então nos largamos e levei ela até uma das cabines, percebi que a cabine que entramos foi a mesma em que eu mamei o cara, não disse nada e tranquei a tal cabine.

La dentro continuamos a nos agarrar, bem gostoso, nossas línguas se embolavam uma na outra cheias de tesão, no nosso agarra-agarra eu passava a mao sobre o corpo de Daisy, até que eu cheguei no bumbum dela, eu apertei ele e a bulinei. Daisy parou um pouco de me beijar e gemia de tesão com as minhas bulinadas, meu pau endurecia na calça e sentia o dela endurecer dentro de sua calcinha, eu a beijo no pescoço e Daisy me aperta contra seu corpo, nosso tesão era enorme, não demora muito Daisy tira minha camisa e põe ela num gancho da cabine, nos beijamos na boca e Daisy me morde nos lábios.

Passa um tempo, Daisy se senta no vaso e começa a mexer na minha calça, ela abre o fecho do meu jeans e com rapidez ela puxa a calça até meus joelhos, ela me ver de cueca box e com o pau duraço dentro dela, ela olha pra mim e diz:

– Uau, isso tudo é pra mim?

– Sim, gostosa

Daisy sorrir e puxa minha cueca pra baixo, meu pau pula pra fora e ela abre o bocão com um ar de espanto, o pau estava bem duro e parecia que era maior que os 17cm que eu tenho, Daisy começa a tocar uma deliciosa punheta, bem devagarinho, nesse mesmo momento ouvimos alguém entrando no banheiro, então ficamos mudo, mas Daisy ainda batendo pra mim. A pessoa sai do banheiro e Daisy aumenta a masturbação, eu estou encostado na porta e só olhando aquilo tudo, até que num tesão enorme eu peço uma coisa pra Daisy:

– Amor, tira a blusa?

Ela larga meu pau e tira a blusa, ficando de sutiã, eu pego a blusa e a coloco no gancho, Daisy me olha e faz uma pergunta:

– Querido, gosta dos meus seios grandes e gostosos?

Eu balanço a cabeça que sim e ela sorrir, Daisy volta pra punheta e ao mesmo tempo cruza suas pernas como a atriz naquele filme “Atração Fatal”. A punheta fica intensa até que não aguentando mais, Daisy começa a lamber a cabeça da minha piroca, com aquilo eu começo a gemer de tesão, não demora muito pra Daisy chupar o pau todo, o boquete se inicia e ela aproveita cada centímetro da minha rola, Daisy começa um vai e vem gostoso da sua boca no meu pau, um tempo depois ela para de chupar meu pau e começa a lamber minhas bolas, eu estou louco de tesão naquilo tudo.

Passou um bom tempo ate que Daisy retoma o boquete no meu pau todo, Daisy é incrível nisso tudo, ficou um bom tempo fazendo programa que se especializou em chupar uma rola, mas entre nós sempre foi algo especial, nossas fodas eram incríveis, não transávamos, fazíamos amor. Daisy chupava como uma atriz pornô, ela abocanhava minha pica como se fosse um doce, ela lambia ele e depois enfiava tudo na boca, era um boquete completo, o melhor que tinha recebido, o pau todo na boca dela e ela fazia um excelente vai e vem, ela fazia garganta profunda e depois linguava ele todo, ficamos um bom tempo ali ate que com muito tesao eu acabei gozando na boca dela, Daisy ao mesmo tempo que recebia meu leite dava risadinhas safadas, depois disso Daisy engoliu meu leite todo, se levantou e me beijou na boca.

Estávamos quase meia hora naquele banheiro, mas não ligavamos pro tempo, depois de nos beijamos, Daisy me pediu pra trocarmos de lugar, eu iria sentar no vaso e ela iria ficar em pé. Eu me sento e tiro minha calça, eu a coloco eu outro gancho da cabine, já Daisy esperou eu ficar de olho nela pra começar o seu showzinho,

Daisy fez um mistério e tirou a sua saia, ficando só de lingerie, vendo aquilo tudo, percebo que o pau de Daisy está duro na calcinha, eu olho e coloco minha mão no volume da calcinha dela, Daisy me olha com tesão e me pede pra esfregar minha mão ali, eu concordo e começo a esfregar minha mão no pau de Daisy, não demorou muito para ela colocar a calcinha de lado e mostrar sua rola, eu vejo aquilo e a elogio, depois começo a punhetar ele bem gostoso, Daisy geme de tesão e me pede mais rápido, passa um tempinho vou até o grelo dela e começo a chupar,

Daisy segurava minha cabeça e começa a sentir minha boca e língua naquela piroca de 20 cm, ao mesmo tempo que eu chupo entra outra pessoa no banheiro, Daisy sussurra pra não fazermos barulho, mas eu não ligo e continuo fazendo meu boquete, já Daisy tampa sua boca pra não gemer alto, essa pessoa sai e daí começo a forçar o boquete, chupo com mais vontade e começo a sentir um pouco do melado de Daisy, chupo gostoso e Daisy adora, paro de chupar a rola dela e comecei a lamber o saco de Daisy, ela enlouquece de tesão e me pede pra não parar, eu volto a rola e começo a línguar o cabeção, não demora muito pra eu voltar a abocanhar aquele caralho delicioso, ficamos um bom tempo ate que Daisy não aguenta e goza pra mim, o leite vai todo na minha língua e eu engulo olhando pra minha safada.

Depois disso ela me pediu pra ir até ela, eu levanto e agarro a Daisy, nos beijamos na boca e ela sentia meu pau duro de novo, nosso beijo fica demorado e bem molhado, entre os beijos Daisy fala:

– Eu amo você meu amor

Eu ouço e a beijo com mais intensidade, não aguento e tiro seu sutiã, olho pros seios médios e gostosos de Daisy e os chupo, estamos ali no banheiro quase uns 45 minutos, nosso tesão era enorme e não se apagava tão fácil assim, chupo bem os seios da minha gostosa e depois a viro de costas pra mim, depois disso eu agarro Daisy pela cintura e q beijo na boca mesmo com ela de costas pra mim, ao mesmo tempo do beijo tento empinar a bunda de Daisy sem deixar de agarrar ela, posiciono meu pau duro na portinha da Daisy e com vontade meto meu pau dentro dela, Daisy grita e geme e eu com tesão começo um gostoso vai e vem, nesse exato momento outras 3 pessoas entram no banheiro, ouvimos o barulho e eu tive a ideia, peguei uma das minhas mãos e a coloquei sobre a boca de Daisy para não deixar ela fazer nenhum barulho, nesse mesmo momento continuo metendo meu pau nela, ainda ouvindo as pessoas no mesmo local, faço gostoso e Daisy não geme tão alto, quando o pessoal saiu eu larguei a boca de Daisy e ela com tesão dar um enorme gemido, esse gemido estava guardado enquanto tinha gente no banheiro.

Eu começo a forçar meu pau no cuzinho de Daisy, ela se inclina na porta e sente meu pau fazendo um estrago na cucetinha dela, tem um momento da nossa foda que Daisy leva uma das minhas mãos até seu pau que já está duro de volta, continuamos naquela posição, eu metendo gostoso e Daisy sentindo minha rola, aumento ainda mais as estocadas e ela geme forte não aguentando mais o meu pau, eu penso que ela está quase gozando e retiro meu pau dentro dela, do nada Daisy fala:

– Tirou seu pau porque amor?

– Eu pensei que você não estava aguentando mais meu pau

– Você tá metendo forte sim, mas eu gosto

– Você quer mais?

– É lógico

Eu vou colocando meu pau de volta, mas Daisy pede um tempinho, então eu respeito ela e sento no vaso. Daisy quando me ver sentando diz:

– Me der 1 minutos, tá doendo mesmo

– Tá doendo amor, me desculpa

– Tudo bem amor

– Vem cá que eu dou um beijinho

Daisy empina sua bunda na minha cara e eu olho aquela delícia, abro o rabo dela e começo a lamber a sua cucetinha, entre as lambidas eu dou uns beijinhos nele, volto a lamber o cuzinho e ao mesmo tempo eu enfio minha cara naquele rabao delicioso, não demora muito pra Daisy falar que está bem e querendo pau de volta. Daisy se levanta, me pede pra encostar e decide sentar no meu colo de frente pra mim, ela senta e rapidamente meu pau duro está dentro da cucetinha de Daisy, ela me abraça e beija minha boca e ao mesmo tempo rebola na minha pica, ficamos grudados naquela posição enquanto eu meto em Daisy, Daisy geme de tesão enquanto ela rebola no meu pau, o pau dela estava grudado na minha barriga, a foda continua e nosso tesão era enorme, ela quica com vontade e eu só recebendo aquele cuzinho gostoso, passa um bom tempo Daisy começa a quicar forte, então aproveitei cada centímetro daquele cuzinho, estávamos quase 1 hora naquele banheiro precisavamos gozar juntinhos, se não iriam desconfiar, a foda continuava, Daisy e eu curtindo muito a companhia um do outro, ela quicava e eu dentro dela, nossos gemidos se juntavam até que foram abafados por um gostoso beijo na boca e com tanto tesão que estávamos,

Daisy deu uma última quicada e uma rebolada que fez com que simultaneamente eu e Daisy gozamos, nosso tesão tinha acabado ali (será), cansada Daisy deitou no meu peito e eu a abracei também cansado, ficamos um bom tempo ali comigo dentro de Daisy e ela com o cuzinho gozado, já eu com a barriga.

Nos beijamos e nos arrumamos, tínhamos transado bem gostoso naquele banheiro, foi a primeira vez que transando num local público, saímos da cabine e nos beijamos ainda mais na boca, de tanto tesão que tínhamos um pelo outro, ficamos com mais vontade de meter, tínhamos acabado de fuder 1 hora direto, mas nosso tesão era enorme e difícil de ser apagado, o que rolou foi que saímos da boate e fomos pro motel, e lá fudemos gostoso mais uma vez, mas isso fica para outra hora.

Deixe um comentário