Conto – Meu corninho me beijou depois de eu ter chupado outro pau

Conto – Meu corninho me beijou depois de eu ter chupado outro pau

Sou morena, quadril largo, bunda grande e redondinha, cintura bem fininha, cabelos lisos bem pretos.
O sexo com meu namorado é uma delícia. A gente trepa praticamente todo dia, mesmo estando juntos há quatro anos e eu sempre gozo vem gostoso no pau dele.

Mas meu namorado sempre teve a fantasia de me ver sendo comida por outro cara

Então a gente combinou que naquela semana eu teria passe livre pra dar a bucetinha pra outro.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Teve uma festa na faculdade, tipo uma chopada, e eu vi um cara bem gostoso. Ele me olhou e eu já correspondi com um sorriso e cheguei nele. Eu já estava meio bêbada e nem lembro vem o que falei, mas já comecei a beijar a boca dele. E o beijo dele era uma delícia. Aquela língua passando pela minha boca e eu já toda molhada pensando em como seria ela passando pelo meu grelinho e me chupando.

Quando ele começou a me abraçar forte, senti o pau dele bem duro, então fui dar aquela conferida pra saber se o pau dele era grande. O corninho do meu namorado colocou essa condição: eu só daria pro cara se tivesse certeza de que o pau dele era bem grande. E pelo que senti, era daqueles que entrariam enchendo toda a buceta
Fiquei doida de sentir como tava duro e ele me deixará com as pernas bambas quando beijava e chupava meu pescoço

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Perguntei pra ele se ele não queria entrar na faculdade pra gente se pegar com mais tranquilidade, pois a festa tava rolando numa praça. Ele topou na hora. Ele não conhecia a faculdade, pois estudava em outro lugar
Levei ele em direção ao elevador, que estava só com o ascensorista.

Dentro do elevador, fiquei na frente dele e apertava o pau dele. Foi aí que ele já colocou a mão por debaixo da minha saia e colocou o dedo pra sentir minha bucetinha. Eu dei um gemidinho baixinho, mas acho que o ascensorista ouviu, pq olhou pra trás na hora. O dedo dele saiu ensopado da minha bucetinha que ali já estava escorrendo.

Somos do elevador e levei ele pra escada de incêndio. Todos sabem que ninguém (ou quase ninguém) passa pelas escadas na altura do décimo andar.

Quando fechei a porta da saída de incêndio já ajoelhei na hora e tirei aquele pau dele que pulou pra fora da calça. Era um pau lindo, duro igual um pedaço de ferro e estava escorrendo aquele líquido delicioso que eu adoro sentir o gosto.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Eu não aguentei e coloquei o pau dele todo na minha boca, até o fundo da garganta na primeira bocada. Eu estava salivando e queria engolir aquele pau todo. Eu chupava e masturbava ele, até que eu percebi que ele ia gozar.

Então parei porque eu queria que ele metesse na minha buceta

Levantei, tirei a calcinha, virei pra escada, segurei no corrimão, coloquei um os pés num degrau mais alto e levantei a sai. Olhei pra trás na direção dele e falei “vem me comer! Mete forte na minha buceta!”

Quando ele meteu, na primeira bombada eu já comecei a gozar. Ele me comia rápido como um coelho e com tanta força que eu cheguei a ficar com as pernas bambas.

Ele me comia tão gostoso que fiquei louca. Queria gritar, então ele teve que tapar a minha boca, pra quem passasse nos corredores não me ouvir gemendo gostosoTeve uma hora que já estava tão enlouquecida de tesão por aquele macho que peguei o pau dele e comecei a colocar no meu cuzinho. Ele nem acreditou. “Você quer que eu coma seu cu?” “Quero! Quero que você coma tudo”

Ele molhou o meu cuzinho e tentou meter, mas o pau dele era muito grande e eu não aguentava de dor. Então falei pra ele voltar pra minha bucetinha pq queria gozar mais. Em um momento, depois de comer mais minha bucetinha, ele me tirou da escada, me colocou de frente contra a parede, segurou as minha duas mãos e começou a forçar pra comer meu rabo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Estava doendo muito, mas eu não tinha o que fazer, até que ele meteu a cabecinha e bombava só a cabecinha dentro do meu cu. E a cada bombada metia um pouquinho mais. Até que Ele conseguiu meter tudo e eu comecei a gozar pelo cu. Eu sentia dor e gozava ao mesmo tempo.

E ele metia cada vez mais rápido até que gozou e jogou todo aquele leitinho dentro do meu rabo. Na mesma hora eu coloquei a calcinha e sem nem olhar pra ele fui embora pro banheiro me limpar. Afinal, o corninho do meu namorado estava saindo do trabalho pra me encontrar na festa.

Ele chegou e eu dei um baita beijo na boca dele com a bica ainda melada do pau do outro cara, com o cheiro do pau do outro

Falei pra ele o que aconteceu. Ele ficou todo puto comigo e até me xingou na hora. Mas depois ficou louco de tesão. Mas teve que ficar alguns dias sem comer meu cuzinho que ficou todo arrebentado do pau do outro cara. Até hoje, dois anos depois, ainda conto essa putaria pra ele enquanto transamos e ele fica doido

Deixe um comentário