Transei com o filho do patrão

Olá, vou me identificar como Livia, tenho 22 anos, sou baixa, na época da história era morena com a pele bem branca, olhos esverdeados, corpo bem desenhado, seios pequenos porem bonitos e macios, piercing no mamilo direito, bumbum bem redondinho e modestia a parte, lindo, pernas grossas e um detalhe bastante excitante, uma estrela tatuada na parte interna da perna beeeem pertinho ‘menina’ .

A historia que venho aqui contar aconteceu quando eu tinha 20 anos. Eu trabalha em uma empresa de família, então todos os 4 filhos dos meus patrões trabalhavam lá, tínhamos uma convivência amigavel, exceto o com o único filho homen do meu chefe. Nós nos odiamos desde o primeiro olhar e não, eu não sabia o motivo. E ficavamos na mesma sala, eu, ele o pai dele e um outro funcionário

Ele um rapaz de 18 na época branco dos cabelos escuros, magro, alto, labios carnudos, aparencia bem de nerd, virgem.

Uma semana antes deu entrar de férias rolou algo diferente, ficamos sem entender. Resistimos.  Mas não por muito tempo dois dias depois meu computador deu pau pedi pra ele ver e me ajudar, estávamos sozinhos na sala, eu de frente pra mesa sentada e ele em pé atrás de mim, levantei minha cabeça pra olhar pra ele, ele mais que depressa e sem pensar direito como quem não sabia o que fazer me beijou, senti seus labios carnudos e sua lingua macia tocarem a minha. Me sentia uma adolescente novamente (como se eu fosse velha). Até então para todos, nós ainda nos odiavamos. Era segredo e ninguem podia saber.

No dia seguinte, novamente nós sozinhos na sala, pra que… apenas nos viramos um para o outro e começamos a nos beijar fortemente com um desejo que queimava de dentro pra fora, um fogo incontrolável. Alguem bateu na porta. Me recompus, ele tambem e foi abrir a porta já que a fechadura estava estragada e só dava pra abrir de dentro pra fora. Era uma colega. Entrou pegou o que queria e saiu. Tracamos a porta. Eu mais de pressa grudei novamente em seus lábios dessa vez gelados pelo susto, mas o pau ainda duro de tanto tesão. Ele levantou minha blusa olhou para meus seios como quem não acreditava no que via, assim ao vivo e a cores, beijou meus seios, apertou com vontade. Não pensei duas vezes tomada pela pulsassão ligeira do meu coração desci meus labios até sua calça e a abri com a boca. Ele resistente, com medo, afinal nunca niguem havia feito aquilo com ele, perguntou se era prudente, eu nem reposndi tratei de abocanhar seu pau grande, grosso e vrigem. Estava duro feito pedra, eu chupava e olhava pra ele e percebia que estava gostando e chupava com mais gosto ainda, lambia seu pau imenso da base até a cabecinha rosa alguns minutos depois senti seu gozo quente e delicioso em minha boca. Voltamos ao trabalho.

No mesmo dia resolvi ficar alem do expediente e nesse dia a mãe dele com quem eu tinha uma relação de mãe e filha havia saido. Estavamos só eu e ele na empresa inteira, o momento perfeito para sentar naquela pica gostosa. E não deu outra. Ao acabar o expediente tirei a calça do uniforme  e coloquei uma saia. Ele me agarrou, me sentou no colo dele acaricou meus seios, minha bunda, minha buceta molhadinha, colocou o dedo enquanto me beijava e eu gemia de prazer, afastei a calcinha enqunto ele colova seu pazão pra fora. Sentei deliciosamente naquele pau enorme que me rasgava de prazer, senti entrar cada um dos 23 centimetros, cavalguei forte, sentava e levantava. Gozei. Gozei gostozo, estava ofegante de prazer, minha perna bamba. Ele gozou e gemeu ao mesmo tempo. Fomos rápidos pelo medo da mãe dele chegar a qualquer momento.

Peguei minhas coisas e sai. Encontrei com a mae dele na porta. Uffa. Suspirei de alivio por não sermos pego.

Apos esse episódio transavamos sempre que dava. Certa vez deitei na mesa do pai dele, ele colocou um hals preto na boca e arracava minha roupa sedento de prazer, me chupou, lambeu cada centimetro da minha buceta, enfiava sua lingua deliciosamente e logo em seguida meteu seu pau duro e grosso em mim com força, metia cada vez mais forte, tirava devagar e colocava com força, me fudeu gostoso. Me fazia sentir arrepios de prazer. Sentia tesão como nunca antes, a adrenalina e prazer tomavam conta de mim. Tive um orgasmo mais que incrivel. Ele tirou seu pau de dentro de mim e me banhou com seu gozo quente, me lambuzou de porra. (pra limpar foi tenso)

Passamos a nos encontrar fora da empresa numa praça que tinha ai perto, depois que entrei de ferias. Como ele era muito novo ficamos durante esse um mês nos vendo pouco, trocavamos mensagens picantes e quando nos viamos nada rolava, já que eu não tinha carro. Em um desses encontros o pai dele nos pegou nessa tal pracinha de amasso, mas naquela altura já estava na cara que já não nos odiavamos, aquele flagra foi só pra terem certeza de que tinhamos algo. Nem tentamos esconder. Quando voltei das férias eu por prudencia e outros motivos pedi as contas da empresa. Assim acabou nosso louco romance. Nos falamos pouco. Posso viver 100 anos mas uma aventura tão proibida e contraditória como essa eu nunca vivo mais. O menino virgem que fodia como ninguem a menina que se dizia experiente. Nunca vou me esquecer daquele pau enorme!

Deixe um comentário