Mudança de vida

Decidi que deveria começar a pensar mais no que deveria fazer da vida. Estava com quase 19 anos, precisava sair da asa de minha mãe e foi isso que fiz. Fazia faculdade a noite, mas durante o dia, trabalhava em uma loja de departamentos. Meu salário era bom e foi o suficiente para alugar um kit net e ter minha vida privada.

 

Sempre fui um garoto atirado, do tipo que ia para as festas com os amigos, bebia escondido e comia algumas garotinhas. Eu me esforçava o máximo para parecer um garanhão pegador, pois não queria ficar para trás. Alguns amigos me invejavam e eu invejava outros, no sentido de “pegar a mais gostosa”.

 

Enquanto levava minha mudança para meu kit net novo, vi uma garota esperando na porta 13, minha nova casa. Ela sorriu quando eu sorri para ela e disse que estava esperando para me dar as boas vindas. Eu agradeci e ela me ofereceu ajuda. Olhei ela de cima a baixo. Era bem feita de corpo, parecia ter sido fabricada com todo o cuidado do mundo e senti logo meu pau ficar duro, só que por ela ser uma desconhecida, tentei evitar que ela visse. Educadamente, aceitei sua ajuda.

O kit net tinha um quarto, um banheiro, uma salinha e uma cozinha. Para mim estava bom demais, pois era apenas para mim. As roupas eu levaria até uma lavanderia para que lavassem, pois seria difícil eu realizar tal feito. Ela estava pegando uma caixa pesada e eu fui ajuda-la. Cheguei por trás e envolvi meus braços nos seus, tentando lhe tirar a caixa… Ela sentiu minha ereção.

 

– Qual sua idade? – perguntou.

 

– Faço 19 em novembro. – respondi – E você?

 

– Completei 18 ontem.

 

Ela ficou me encarando e do nada me agarrou. Me deu um beijo delicioso, enquanto suas mãos passeavam meu corpo, até chegarem a minha ereção. As minhas correram por seu vestidinho curto e pus as mãos por debaixo dele, apertando sua bunda deliciosa.

 

Quando paramos, corri para fechar a porta. A cama não estava montada ainda, mas isso não foi problema, ela pôs uns lençóis no chão e eu me deitei ao seu lado. Ela começou a tirar o vestido e eu fiz que iria tirar meu cinto, mas ela bateu em minhas mãos e foi com a mão até ele, tirando-o, abaixando minha bermuda e, logo em seguida, tirando meu pau duro para fora.

 

Senti sua língua subir e descer pelo meu pau, enquanto eu sentia o prazer tomar conta do meu corpo. Segurei a cabeça dela e a forcei a chupar meu cacete e ela não se fez de rogada… Era muito experiente para uma garotinha que recém completou 18 anos. Depois de uns minutos com ela me chupando, mandei-a parar. Corri até minha carteira e peguei uma camisinha.

 

– Você prefere em que posição? – perguntei.

 

– A que você me ensinar… – disse ela – Ainda sou virgem.

 

Quando ela me disse aquilo, lembrei-me de quando perdi minha virgindade e, ao mesmo tempo, a garota também perdeu a dela. Senti uma chama tomar conta do meu corpo e logo mandei-a abrir as pernas. Lambi aquele grelinho doce dela, enquanto ela gemia alto, até que ela gritou: “Mete logo, porra!”.

 

Não a deixei passar vontade e meti tudo de uma vez. Comecei com umas estocadas fortes, depois fui bem devagar e ela gemendo, se esticando para me beijar e depois gemia baixinho. Havia perdido as contas de quantas bocetas cabaços eu já tinha comido, mas aquela era a melhor de todas, lisinha e com uma garota totalmente desconhecida, fantástica.

 

Senti que ia gozar, tirei o pau de dentro dela, tirei a camisinha e mandei ela chupar. Ela chupou e eu gozei em sua boca, depois em seu rosto. Ela sorriu e o leite escorreu pelo canto de sua boca. Ela começou a engolir e eu fiquei surpreso com tamanha experiência para uma virgem.

 

– Você é muito safadinha. – falei.

 

– Tenha certeza que, enquanto você morar por aqui, terás uma experiência nova todos os dias… – disse ela.

 

Ela foi até meu banheiro e lavou o rosto, vestiu seu vestidinho e, antes de ir embora, me deu um tchauzinho sexy…

 

Quem diria que mudar de casa seria tão prazeroso? Agora é que não vou embora mais daqui!

Deixe um comentário