O motorista do uber e minha esposa

O motorista do uber e a minha esposa. Essa aventura sexual aconteceu recentemente. Eu sou casado a 2 anos, eu e minha mulher somos um casal jovem e nossa vida sexual ainda é bastante apimentada. Minha mulher, Joyce, é muito fogosa e topa tudo, mas até então a gente nunca tinha falado sobre ela ficar com outros homens, apesar da ideia me dar um certo tesão.

A gente foi para o aniversário de um amigo, que rolou em uma boate que ele fechou só pra festa, e como ia rolar bebida de graça, eu já marquei com ela de irmos num uber, pra eu não voltar bêbado dirigindo, até aí tudo bem, a gente sempre ia dessa forma para as baladas, mas nesse dia foi bem diferente, minha mulher é gostosa pra caralho, loira, olhos castanhos claros, cinturinha fina, peitinho durinho de silicone e por onde ela passa chama atenção de todos.

Bom, fomos pra balada, curtimos pra caramba, umas 2 horas da manhã eu tava completamente bêbado, minha mulher tava mais ou menos mas como ela tava cansada resolvemos chamar um uber e voltar pra casa. Assim que chamei vi lá o carro e o nome do cara: Jorge. Ele era um cara que parecia atlético na foto e minha mulher até comentou que ele era bonitinho.

Enfim, ele chegou e percebeu que nós estavamos animados e acho que pensando que eu tava muito bêbado pra perceber, ele olhou descaradamente pra minha mulher, ela tava de vestido, as vezes se descuidava, abria as pernas e ele pelo retrovisor só dando um saque nela e eu ali percebendo tudo. No caminho a gente foi conversando sobre todo tipo de assunto, até chegar no assunto traição.

Nem lembro como chegamos nisso mas senti que foi proposital da parte dele, querendo saber a opinião da gente, comentando que tava de caso com uma mulher casada e etc. O papo tava legal mas depois de um tempo eu comecei a agarrar minha mulher, passar a mão nas coxas dela, tocar na buceta dela por cima da calcinha de renda e o Jorge só olhando pra gente, até que uma hora ele disse: – Ei, é covardia vocês fazendo isso e eu aqui só assistindo.

Eu ri e pedi desculpas, e logo ele tava fazendo perguntas íntimas pra gente, mas tava tudo de boa. Chegamos em casa e senti que durante todo o caminho, rolou um clima entre ele e minha mulher, então mesmo depois de ter chegado ao destino ele fez questão de conversar com a gente, aí disse que eramos um casal gente fina e minha mulher tava parecendo uma puta bêbada, elogiando ele também, falando que ele era bonito e ela acabou percebendo que ele tava de pau duro e não deixou de comentar.

Nessa hora senti que eu ia ser corno aquele dia, mas fui deixando rolar, perguntei se ele queria descer pra tomar uma com a gente em outro lugar e ele topou. Fomos pra um barzinho distante de onde eu moro e depois de beber mais minha mulher começou a dançar e o Jorge só babando por ela e eu tava muito excitado de ver outro homem ali comendo minha mulher com os olhos.

Minha mulher chamou o uber pra o motel

Depois de muitas bebidas nossas e poucas do Jorge, ele foi levar a gente de volta, mas a Joyce sugeriu um motel, e ele topou sem pensar duas vezes. Chegando lá tomamos mais umas cervejinhas, ela tomou banho e quando fui tomar o meu já encontrei a safada beijando o Jorge, peladinha e agarrando o pau dele. Me deu um misto de ciúme e tesão, mas eu não ia cortar o barato naquela hora então deixei rolar e comecei a tocar uma punheta assistindo ela se esfregando toda nele.

Ele tocava na sua bucetinha, esfregava seu grelinho e fazia ela rebolar no seu dedo, até que não aguentei e fui colocar minha pica na boca dela pra ela dar uma chupada caprichada como sempre faz. Depois de me chupar um tempão ela me fez dar uma gozada bem gostosa, eu resolvi me sentar e relaxar depois desse orgasmo intenso, aí nessa hora o Jorge disse:

– Agora brother, eu vou dar um trato na sua mulher porque ela é muito gostosa e eu não tô aguentando mais. – Eu fiquei ansioso sentado ali, de repente ele coloca a pica pra fora e manda ela chupar gostoso, ela mamou o pau dele igual uma louca, sugava, chupava o saco dele, não tirava aquele cacete da boca em nenhum momento e o cara soube retribuir, depois da chupada ele deitou na cama, fez ela deitar por cima ao contrário e rolou um meia nove gostoso entre eles.

Essa altura eu já tava pronto pra outra, ele pegou uma camisinha, encapou o pau e fez ela sentar no seu cacete duro. Ela dava uma sentada nervosa na piroca dele e sua bunda gostosa balançava fazendo aquele barulho sexy quando batia no pau dele. Eu tava doido pra entrar na brincadeira e enquanto ela sentava no motorista do uber, eu tava lambuzando meu pau com lubrificante pra comer o cuzinho dela.

Falando em cu, o dela tava piscando de tanto tesão que a safada tava sentindo. Isso me deixa muito louco, e logo fui encaixando minha vara no cu dela, meu saco batia no do Jorge, fiquei meio sem graça com isso mas o tesão era grande demais pra eu me importar com essas besteiras e a Joyce tava parecendo uma puta, gemendo alto, falando que tava gostoso, que quria ser a putinha da gente todo dia e que era uma delícia duas rolas arrombando o cu e a buceta dela, bem vulgar minha mulher gostosa tava.

A gente ficou bombando nela por vários minutos até que o cara gozou e ela ficou parada em cima dele enquanto eu continuava socando no seu cuzinho e fazendo ela gritar de tesão. Depois de mais uns minutos eu gozei mais uma vez dentro do cu dela e deixei a safada peidando porra por um tempo, mas ela ainda queria mais.

Depois disso fomos tomar banho e voltar pra casa, mas ela queria dar para o Jorge no carro e queria que eu assistisse ele arrombando o cu dela, que já tava bem arrombado depois de eu ter comido. Ela foi para o banco de trás e ele comeu o cu dela enquanto eu me acabava na punheta. Foi uma experiência incrível e a gente quer repetir com outros motoristas.

Deixe um comentário

Esconder
Mostrar