Durante a enchente, comi a cliente gostosa e casada

Meu nome é Fábio, tenho 28 anos e sou técnico em eletricidade em São Paulo. Sou moreno, porte grande (1,85 m e 90 kg), e modéstia à parte, considero-me bem apessoado. Recentemente fui contratado por um casal para reformar o home theater de um apartamento no Alto de Pinheiros. Já conhecia a dona da casa, Cinthia, da época em que ainda era solteira, pois havia feito um serviço na casa de seus pais.

Fui num sábado me reunir com ela e seu marido, Fred, para conhecer a obra e propor um orçamento. Cinthia estava ainda mais gostosa do que quando a conhecera 6 anos antes: agora com 32 anos de idade, tinha ganho mais corpo. Pele branca como o leite, cabelos castanhos, puxando para o ruivo e na altura dos ombros, olhos verdes, peitos grandes e duros e uma bunda de fechar o trânsito. O tamanho era, em minha opinião, o ideal para meter – 1,55 m, com peso proporcional. Nesta reunião ela vestia legging e top, pois tinha voltado da academia, e tive que disfarçar minha ereção quando percebi a xoxota gordinha sob o tecido de lycra. O marido dela, como não poderia ser diferente, era um mala: típico empresário que viveu crendo que era o tal e portanto poderia comprar a todos. Felizmente, como ele viajava muito a trabalho, Cinthia ficou encarregada de acertar todas as questões da reforma comigo.

Ler maisDurante a enchente, comi a cliente gostosa e casada

Fodendo depois da balada

Boa noite! Essa história ocorreu ontem à noite e foi muito legal, pois fodemos e nos divertimos muito, mostrando que ainda podemos curtir muito sem estar com outras pessoas, como tem ocorrido em outros contos!

Bom, minha esposa é muito gata, loira, magra e safada, me convidou para irmos em uma boate ontem à noite, topei na hora então ela foi arrumar-se, e tomou um bom banho, depilou a buceta e começou a experimentar várias roupas, ficou nuazinha e começou a trocar as roupas, até que decidiu por uma saia curtinha tipo couro e uma blusa que mais parecia um soutien que deixava o peito todo de fora.

Ler maisFodendo depois da balada

Dei pro meu vizinho novo

Ola, meu nome é Camila e hj vou contar a vcs sobre a vez que dei pro meu novo vizinho, tenho 22 anos, na epoca namorava a 3 anos ja porem o namoro nao vinha bem, sou negra, coxas grossas, bumbum bonito mas nada exagerado, seios pequenos mas bonitos, tenho um corpo bonito porem nada fora do padrão alem das coxas grossas e bonitas.
Na época lembro que meu namoro não estava bom a muito tempo, muitas brigas e desentendimentos e direto eu pensava e terminar e tal, ate que em uma quarta feira surgiu uma nova familia na casa ao lado, uma senhora de uns 45 ou mais de idade e seu filho, Jonatan, era um neguinho de maia oi menos 1.70, nao era muito musculoso nem mt magro nem muito bonito mas senti uma atração de inicio mas de leve, ele era um rapaz muito simpático e logo fizemos amizade.

Ler maisDei pro meu vizinho novo

Meu primeiro anal

Não há como distinguir, homens quanto mulheres adoram ser cortejados, desejados e cantados. Se vai rolar alguma coisa, como dizia meu pai, “são outros quinhentos”.

Descobri minha sexualidade muito cedo, entre os nove e dez anos, já ensaiava minhas primeiras masturbações. Depois que aprendi gozar com ejaculação, não dava folga.

No ano que completará 13 anos, tive uma colega de escola muito assanhada. Samantha tinha a mesma idade, porém na safadeza, aparentava ser muito mais velha e experiente. Era filha de pais separados e seu irmão mais novo estava na escola na parte da tarde. Estudávamos pela manhã. Numa época daquele ano, ela sugeriu algumas festas dançantes entre os colegas às sextas feiras na parte da tarde.

Nas três primeiras, bombou. Metade da sala era certo em cada reunião. Os homens levavam refrigerantes e as mulheres, salgados. Normalmente, íamos das 14 às 18 horas. Era muito tímido naquela época, minha primeira parceira de dança foi Samantha e ela que escolheu a música. Na verdade, a ordem das coisas foi ao contrário, ela escolheu a música lenta. Em todas as festas, tinha que ter um cobertor na janela da sala, dava um ar melhor ao ambiente, ficávamos com a impressão de danceteria. O final era sempre com música romântica. Ia para essas festinhas para ficar olhando até aquela reunião.

Ler maisMeu primeiro anal

Minha sogra sentou no meu pau

Minha sogra se chama Amara, tem 48 anos e tem um puta corpão gostoso e desde o primeiro dia que comecei a namorar a filha dela, eu já imaginei como seria uma foda com as duas juntas, sei que é nojento, mas eu pensei bastante nisso e já cheguei a comer minha namorada pensando nela.

As duas se parecem muito, mas minha namorada é mais magrinha e minha sogra é estilo cavalona, tem peitão, bundão e umas coxas grossas bem gostosas e é separada do meu sogro a bastante tempo, e desde esse dia ela não namorou mais ninguém, imagina como a coroa tava necessitada de uma pica na sua
boceta.

Ela gostava de tomar todas, ficava bêbada pra caralho e um dia ela começou a olhar descaradamente para mim e quando fui na cozinha preparar uma caipirinha pra minha namorada, ela veio me ajudar e deu um tapa na minha bunda dizendo que era bem durinha e depois pegou na minha pica, coisa que me deixou bem constrangido por ter ficado excitado por ela com minha namorada lá fora sem imaginar aquilo, mas eu gostei da brincadeira.

Depois desse dia não rolou mais nada, mas foi só ela ficar bêbada de novo para as brincadeiras recomeçarem bem pior e um dia na frente de todos ela disse que eu tinha cara de brocha e não sabia como a filha dela tava comigo e geral deu risada, coisa que me deixou puto e só não respondi a altura pra não rolar confusão, mas quando ela entrou eu fui atrás e disse que ela só poderia falar que eu era brocha se desse a boceta pra mim e na mesma hora vi a Amara ficar com cara de cu, mas pra não sair por baixo ela disse que eu não daria conta de uma mulher como ela, porque ela tinha muito fogo.

Ler maisMinha sogra sentou no meu pau

Contos de Traição: Morrendo de tesão pela cunhada

Morrendo de tesão pela cunhada. Meu nome é Augusto, tenho 29 anos, sou alto, moreno e gosto de me manter em forma fazendo atividade física. Sou casado a 3 anos com a Rafaela, uma mulher muito linda, que me satisfaz na cama e tudo mais, mas hoje vou falar da irmã dela, a Gabi.

Essa minha cunhada é muito linda, é casada também com um cara gente fina mas que passa a maior parte do tempo viajando e deixa esse mulherão sozinha em casa. Desde que conheci minha cunhadinha eu nutro um tesão absurdo por ela, já punhetei várias vezes pensando nessa gostosa. Ela tem a maior cara de safada, totalmente diferente da minha mulher, que tem um rosto angelical.

A Gabi é muito vaidosa, além de linda, só vive cheirosa, bem cuidada, maquiada, aliás, todas as mulheres da família são assim. Ela tem uma barriga retinha, bunda linda, seios durinhos, coxas torneadas e cabelos lisos enormes que vão até a metade das costas. Apesar de ter cara de safada, ela sempre foi muito discreta, nunca vi ela falando nem palavrão, sempre foi meio tímida e me tratou bem.

Ler maisContos de Traição: Morrendo de tesão pela cunhada

Enrabada pelo chefe do meu marido

Meu nome é Eliana, sou casada, 36 anos, loira, branca, dois filhos e moro em Araraquara/SP. Eu sou uma mulher vaidosa, sou aquela magra falsa e alta, com um corpo atrativo, cabelo curto olhos cor de mel, rosto bonito, boca deliciosa e sedenta para chupar uma pica, seios ainda duros. Tenho uma bela bunda e coxas e pernas bonitas, meu marido é funcionário público de uma cidade aqui próxima. E esta é minha história de vidas entrelaçadas.

Conheço meu marido há 5 anos e nós queremos bem, casamos há 3 anos, mas enquanto namoramos nunca tivemos relações sexuais por ele ser do tempo antigo. Eu já queria, mas ele nada e depois de casada ele só quer comer minha boceta. No início não me incomodei, até gosto, ele me fode gostoso, mas o problema é que há muito tempo venho sentindo um desejo imenso de fazer sexo anal com ele.

Estou sempre oferecendo meu cuzinho para ele, mas até agora nada. Perguntei se ele não sente tesão de me enrabar e ele me respondeu que nunca gostou de comer lado B de uma mulher e que preferia só minha boceta.

Desde então eu nunca mais toquei no assunto, só que isso me machucou. Me sentia insatisfeita, minha vida sexual incompleta. Para mim eram noites de sofrimento, e duro de suportar, pois minha vontade de iniciar sexo anal era muito forte. Era tudo que eu mais queria. Passei a dormir sem calcinhas, com a esperança dele mudar, mas nada.

Ler maisEnrabada pelo chefe do meu marido

O encontro

Ela lhe despertava um desejo ardente, porém mal imaginava a situação. Eles se conheceram na internet, em um grupo de whats para falar a verdade. Inicialmente, não se falavam muito, uma coisa ou outra, um comentário sobre futebol, algum elogio. Assim, o tempo, que sempre leva tudo ao cabo, fez com que as conversas fossem … Ler maisO encontro

A MESA DE POKER

Eu estava voltando para casa depois de uma noite não muito empolgante de sexta-feira. Mesma balada, mesmas músicas, pessoas e cantadas de sempre. Algumas conversas e risadas me distraíram até quase o amanhecer, nem sei por que, demorei tanto para voltar para casa. Passei em frente a um estabelecimento, que eu nem sabia o que … Ler maisA MESA DE POKER

Sonho acordado

Ela dorme em seu aconchego. Ele apenas observa. Observa as curvas mal cobertas pela camisola entreaberta, a coberta ainda aquece um dos pés, o outro apenas repousa, exposto de forma seduzente. Delicado, pequeno, bem cuidado. A camisa ainda expõe os seios de tamanho perfeito, entre médios para fartos. As nádegas redondas, o pedaço para o … Ler maisSonho acordado