Contos Eróticos Nicoly e William

Contos Eróticos … Vamos Chamar de Nicoly e William Nos conhecemos através da internet a famosa redes sociais… ((Lugarzinho esse de perdição )) Conversarmos algumas vezes mais sempre ficou nisso somente em conversas. Tivemos conversas descontraídas sérias e claro as mais picantes… Até que um certo dia recebi uma mensagem dela falando que estava no … Ler maisContos Eróticos Nicoly e William

Fodi na casa do meu amigo de escola

Meu nome é Prática (não vou falar meu nome verdadeiro por motivos óbvios) tenho 1.77 de altura sou alta, cintura fina, quadril largo, bumbum médio seios médios também, tenho 19 anos. Quando tinha uns 18 anos gostava de menino da minha escola ele era muito gostoso,as vezes eu ficava me masturbando imaginando como seria o … Ler maisFodi na casa do meu amigo de escola

Verei putinha do amigo da mamãe

Meu nome é Clara (Nome Fictício) sempre fui uma menina bem sacana por assim dizer, e sempre tive gostos peculiares quanto a sexo,nada era bom o suficiente,sempre estava frustrada,porém o companheiro que estivesse comigo recebia tudo que podia dar,até que eu encontrei uma pessoa que me realizou completamente,virei a putinha do amigo da minha mãe. … Ler maisVerei putinha do amigo da mamãe

Foda com meu professor

Esse é meu primeiro conto erótico… Vou começar com as descrições: meço 1,63, cabelos castanhos e ondulados longos, rosto bonito e delicado, bastante coxa, cintura fina, seios e bumbum normais, completei 19 anos e estou no 3º semestre da faculdade.

Sempre fui muito safada, era loooouca pelo meu professor de filosofia, mas como ele era noivo há muitos anos, nunca deixei isso transparecer para ele, falava apenas para os meus amigos. Ele era novo, tinha de 25 a 28 anos, loiro, alto, corpo definido, mas não era forrrte, apenas bem definido, e tinha uma cara de safado super atraente, todas as alunas eram doidas para dar pra ele. Eu me masturbava pensando neles inúmeras vezes, tinha um fetiche enorme em professor. Eu terminei o ensino médio e nada aconteceu, fiquei desapontada, mas segui firme.

Ler maisFoda com meu professor

Conto erótico novinha bissexual

Olá pessoal sou a A.M, tenho 18 anos, sou bissexual, loira, 1.65 de altura magra, seios pequenos, moro em BH Minas Gerais, escrevo pela primeira vez pra contar o melhor sexo da minha vida, que fiz muito gostoso com outra mulher.

Bom, desde antes dos meus 18 anos já fazia sexo com outras mulheres, geralmente mais velhas do que eu e sempre que fazia tinha vontade de fazer mais, era algo insaciável o meu desejo por buceta de mulher mais velha.

Até que um dia acabei entrando em um desses grupos LGBT de whatsapp, onde só tinha lésbicas e lá conheci a mulher que me fez gozar por uma noite inteira. Olhei os integrantes do grupo, olhei a foto e imaginei que tivesse uns 23 ou 24 anos, resolvi chamar, afinal tinha gostado muito de transar com mulheres nessa idade. Mandei um “Oi” com um elogio, ela respondeu e começamos a conversar. Ela disse que seu nome era Sol, tinha 22 anos era universitária fazia direito, era lésbica e não assumida e morava perto de onde eu estudava. Por conta disso alguns dias depois nos conhecemos pessoalmente em um shopping. Ela tinha os cabelos loiros, na altura dos seios, era branca, tinha pernas deliciosas, com coxas grossas e macias, um belo par de seios que deixava o decote dela extremamente tentador e uma bundinha pequena mas muito gostosa. Só de olhar pra ela eu já sentia uma vontade absurda de chupar aqueles peitos e sentir o cheiro daquela buceta…durante o encontro eu não conseguia tirar os olhos do decote dela e ela acabou percebendo, riu e me perguntou “Que foi? Perdeu alguma coisa aqui?” eu ri com vergonha e ela dispara “Se perdeu ta esperando o que pra vir buscar?”, na hora eu fiquei sem reação e só ri, mas fui pra casa pensando nos peitos dela e no quanto eu queria eles na minha boca.

Ler maisConto erótico novinha bissexual

Meus dois primos metendo na minha buceta e no meu cuzinho

Meu nome é Thalita, tenho 32 anos, sou casada e tenho dois filhos. Depois de ler os vários contos eróticos publicados nesse site eu acabei criando coragem e vou contar a vocês sobre a melhor transa que já tive na minha vida, e que aconteceu quando eu ainda tinha 18 aninhos e era solteira.

Na época eu era bem magrinha, com as pernas bem longas, cabelos castanhos lisos e longos, seios bem pequenos e com pouca experiência sexual. Perdi a minha virgindade com o meu primeiro namorado aos 18 anos. Depois disso eu estava com tesão o tempo todo, mas não era sempre que eu que tinha a oportunidade de transar.

Morávamos no interior, eu e minha família e alguns irmãos e irmãs do meu pai. Como as casas eram próximas, eu estava sempre em contato com meus primos e primas. Das primas eu era a mais nova, mas eu tinha dois primos mais velhos que eu, o Edgar, de 21 anos e o Breno, de 22, ambos filhos do meu tio.

Ler maisMeus dois primos metendo na minha buceta e no meu cuzinho

Madrasta com tesão pelo enteado e acaba caindo na tentação com o garoto

Eu sou uma mulher de quarenta e cinco anos,dentista,tenho 2 filhos e fui casada ao longo quinze anos,há 3 anos me divorciei e comecei a me cuidar mais,a afastamento foi bastante conta e eu reagi saindo com amigas de trabalho e frequentando a academia,não que eu era uma relaxada,mas comecei a permitir mais atenção ao meu visual,afinal de contas,constantemente fui uma mulher paquerada pelos homens,evidente que,bastante mais no momento em que jovem.
Eu conheci meu atual camarada na academia,somos amigados e ele possui quarenta e oito anos e um filho de 20 anos que mora com nós também,meus filhos moram com o agente,mas constantemente que são capazes de vem nos visitar,somos todos amigos,menos,evidente,meu ex companheiro.No momento em que eu conheci o meu enteado pra mim foi normal,mas com o tempo fui concluindo que ele era meio saidinho e tinhas umas brincadeiras maliciosas,eu é evidente não dava muita importância,afinal,era o filho do meu “companheiro”,e é evidente que ele não sabia das brincadeiras do filho.

Ler maisMadrasta com tesão pelo enteado e acaba caindo na tentação com o garoto

Meu primeiro anal gay

Oi, me chamo Flávio(nome fictício)moreno a história/conto que vou contar é verídica.Tudo começou quando eu tinha meus 19 anos 1m55 59kg, e meu irmão de criação 18, 1m65, 61kg, estávamos no quarto do nosso pai com meu irmão José(nome fictício), ele de uma hora pra outra começou a passar a mão no meu pênis por de baixo do lençol a princípio fiquei meio assim com medo mais deixei a coisa rolar o clima estava esquentando aí ele me chamou pro nosso quarto, fui e chegando lá as carícias ficaram mais intensas ele pegava no meu pau e eu na bunda dele, tiramos a roupa e começamos a se tocar, ele ficou de quatro pra eu meter nele só que por meu pênis ser muito grande e grosso não penetrava de jeito nenhum acabou sangrando o cuzinho dele, desistir. Ele pediu pra meter em mim o pau dele era médio e um pouco grosso fiquei com medo de doer, mais eu deixei! Fui lavar o cuzinho pra deixar bem cheiroso pra ele, ele começou a chupar minhas bolas e meu cu sendo q eu estava de quatro pra ele todo aberto estava gostando muito, tava a ponto de gosar sem nem pegar no pau. Ele parou um pouco meu cuzinho já estava lubrificado só esperando a rola

Ler maisMeu primeiro anal gay

O pecado chamado: Cunhada mais nova

Isso aconteceu a mais ou menos 8 meses. Me chamo Eduardo, namoro com Fernanda há 4 anos, ambos com 25 anos. Tenho duas cunhadas, Paula de 30 anos, casada e mãe de dois filhos, e a Carol de 22 anos que namora com um rapaz há 2 anos.

Hoje vou falar da mais nova, Carol, a que me dá tesão só em falar no nome dela. Quando comecei namorar, minha relação com Carol era muito boa, conversávamos muito, brincávamos, e até briga entre a gente rolava, mas depois ficava tudo de boa. Depois que ela começou a namorar tudo mudou, se fechou, se afastou, e hoje mal me comprometa. Acredito que seu namorado ao ver nossa ótima relação, de alguma forma fez com que ela mudasse. Mas meu desejo por ela só aumentou após isso. Ela tem um belo corpo, é linda e muito comunicativa.

Ler maisO pecado chamado: Cunhada mais nova

Primeira vez com travesti

Sou Fábio, um jovem de 28 anos, branco, tipo físico normal, nada de exagerado. Sempre tive fetiches por travestis, mas até então nunca tinha tido coragem de nada. Um dia, vendo vídeos na internet, fiquei com mais vontade de experimentar do que o de costume, decidi dar uma volta de carro em um ponto de travestis que conhecia na cidade.
Passando lá havia varias, não muito femininas, o que não me despertava tanta vontade. Quando estava indo embora, uma morena, pele clara, cerca de 1,77 mais ou menos, corpo esculpido, cavala mas delicada, pediu para falar comigo. Perguntou o que eu queria ali, e fiquei meio sem jeito. Aí ela me perguntou se estava procurando por bonecas, e respondi que sim meio sem jeito. Ela disse que por ter gostado de mim, me faria um bom preço, e que tinha paciência com iniciantes.

Ler maisPrimeira vez com travesti