O dia que trepei com filho do meu macho

Olá! Meu nome é Carol, tenho 26 anos e moro no interior de São Paulo. Estou no último ano de administração de empresas, moro sozinha e até o mês passado trabalhei em um bar/cafeteria aqui na cidade. Meu relato é de uma história muito louca que jamais imaginei que aconteceria (e ainda acontece) comigo.

Tudo começou no início de 2017, quando um grupo de advogados que trabalhavam próximo a cafeteria começou a se reunir toda quinta lá. Aí conheci Ricardo, 60 anos, muito simpático, moreno de olhos verdes, cabelo quase todo grisalho e um sorriso que era de encantar qualquer uma.

Conversávamos bastante chegando até a trocar confidências. Em uma delas ele contou que morava em São Paulo, ficava aqui na cidade 2 dias na semana e que se sentia muito sozinho. Papo vai e papo vem me perguntou se poderia me fazer uma proposta.

Já trabalhava na cafeteria há um tempo, e por chamar atenção, sempre levava muitas cantadas, já imaginei que viria algo do tipo. Ricardo perguntou se eu não poderia fazer companhia a ele nessas noites que ele passava na cidade. Ressaltou que seria sem maldade, apenas filme, jantar, conversar (rs).Confesso que a proposta foi, a princípio, totalmente inesperada mas me despertou muita curiosidade, acabei aceitando.

As primeiras noites realmente foram sem malícia. Ricardo sempre pedia um jantar, conversávamos e íamos dormir. Até que algumas noites depois rolou o inevitável

(Tive uma das melhores noites da vida – fica o relato pra uma próxima oportunidade).

Assim, praticamente me mudei para o apartamento dele e 2 dias da semana eramos assim: eu, ele e muito sexo. Nos outros dias vivia minha vida normal.

Quase 1 ano depois Ricardo trouxe pra cidade seu filho, Rodrigo, UM DEUS GREGO! Rodrigo tem 32 anos, segue a profissão do pai, moreno, alto, físico de arrepiar, fiquei louca. Quando apresentada a ele, mostrou-se um rapaz tímido e aquilo me deixou mais excitada ainda.

Não era de se estranhar que ele passou a chamar atenção nas idas a cafeteria. Achei que a partir daí não ficaria no apartamento do Ric devido a presença do filho mas ele insistiu que tudo permanecesse como estava. Como já disse Rodrigo se apresentou muito tímido, quase não falava mas conversamos algumas vezes, foi muito simpático, mas ficou nisso.

Quando ia para o apartamento raramente o encontrava. O tempo foi passando e em uma agradável noite, como de rotina, fui para o apartamento com Ricardo: jantar, vinho e muito sexo. Estava com Ric há meses e ele sempre manteve a mesma pessoa que conheci, simpático, carinhoso, insaciável e uma delícia na cama.

Jamais pensaria nesse tipo de relacionamento e muito menos com alguém que tem idade para ser meu pai e, para minha surpresa, não tinha vontade de ficar com mais ninguém…Rodrigo mudou isso!

Fui para a sala terminar um trabalho e não atrapalhar o sono do Ric. Alguns minutos depois Rodrigo chega, aparentemente embriagado, com uma roupa mais social (sempre o via de terno) e, para minha surpresa, sentou ao meu lado. Conversamos sobre o que eu estava fazendo, sobre faculdade, trabalho e etc até que ele me pergunta qual o motivo de eu estar com o pai dele.

Fiquei meio sem saber o que falar mas disse a verdade. E aí Rodrigo me pergunta se só me relaciono com pessoas mais velhas ou se mais novos tem chance. Na hora fiquei meio sem graça mas sem nem pensar, perguntei: mais novos como você? E ele respondeu que sim, se aproximando e de repente me beijou. Um beijo quente, molhado…Rodrigo passando a mão pelo meu corpo, já estava toda molhada.

Ouvimos um barulho (que era da janela) e levamos um susto. Rapidamente tentei me esquivar dele, com medo de que Ric acordasse e nos flagrasse ali. Rodrigo tentou me impedir. Disse que desde que me conheceu gostou muito de mim, que ouvia minhas noites com o pai dele e só desejava estar comigo no seu lugar. Mal sabia ele que eu desejava o mesmo.

Voltamos a nos beijar e eu só pensava que loucura seria dar pra pai e filho na mesma noite, fiquei dividida no que fazer. Mas Rodrigo não deixou que ficasse em dúvida por muito tempo. Me pegou no colo e me levou para seu quarto. Me colocou contra a parede e ali mesmo continuava a me beijar e colocar seu corpo contra o meu. Podia sentir aquele volume na calça e minha xaninha ficava cada vez mais molhada.

continua depois da publicidade

Rodrigo tirou a camisa e comecei a passar a mão no seu peito e abdome até chegar no cacete que já estava bem duro pro baixo da calça. Não resisti e me ajoelhei, tava louca pra por aquele pau na minha boca e nossa, que macio, que cacete grande e gostoso.

Abocanhei com vontade aquele pau delicioso, sentia latejar na minha boca e mamava ainda mais quando olhava pra aquele deus grego se contorcendo de tesão. Ele segurava meus cabelos e enfiava com força na minha boca. Dizia que eu o enlouquecia e que nunca alguém o chupou daquele jeito.

Me puxou para si de novo e apertava minha bunda com tanta força que eu ficava cada vez mais molhada. Arrancou minha camisola e quando vi já estava deitada na cama com aquele macho delicioso em cima de mim. Tirou meu sutiã e mamou deliciosamente, o que eu amo, dava umas mordiscadas no bico que levou a loucura.

Aproveitava e batia uma punheta de leve naquele pau delicioso e melado. Começou a explorar meu corpo até que chegou onde eu mais queria, minha buceta latejava de tanto tesão, louca pra sentir aquele homem dentro de mim. Rodrigo tirou minha calcinha e começou a me chupar todinha, que delícia! Chupava, lambia, dava leves mordiscadas. Ia da buceta até o cu e eu era só tesão.

No escuro do quarto eu só sentia desejo e prazer e ele foi roçando aquele pau gostoso na minha xoxotinha, e eu estava ali entregue ao prazer como uma devassa. Via minha cara de desespero querendo aquele pau pra mim.Sussurava: você quer essa pica, vadia? Com a cabeça acenti que sim.

Rodrigo prendeu meus braços a cama, me deu um beijo e senti aquela estocada forte, seu pau estava todo dentro de mim. Meu grito de dor é sufocado pelo seu beijo, enquanto sinto centímetro por centímetro seu cacete, me fazendo tremer toda.

Começou a estocar de leve e vendo minha cara de satisfação foi indo mais rápido e mais e mais. Eu me segurava nele, ele agarrava meus peitos, mordiscava meus mamilos duros. Estávamos absolutamente alucinados de tesão e ensopados. Rodrigo me segurava de um jeito e metia tão forte que não demorou muito para que eu gozasse.

Voltei a chupar aquele mastro delicioso, agora todo melado com meus mais puro gozo e ver seu rosto de tesão me deixava mais satisfeita ainda. Sem perder tempo fui para cima dele e rapidamente me pegou pelo quadril e me colocou em cima dele: cavalga, gostosa.

Senti seu pau todo dentro de mim e comecei a rebolar. Seu pau latejava e eu rebolava mais e mais, chegando a sentir suas bolas no meu cuzinho.

Com as pernas tremendo de tanto tesão, fiquei de 4 pra satisfazer mais um desejo desse homem maravilhoso. Arrebitei minha bundinha e quase cai de cara na cama com a estocada que Rodrigo deu. Ele segurava meu quadril e metia com tanta força que a minha vontade era gemer bem alto.

Ele então puxou meu cabelo e sussurrou que era pra eu ficar quietinha, e estocava mais. Meu Deus a sensação era de que ele iria me dividir ao meio mas ao mesmo tempo de muito tensão com muita porra escorrendo pelas pernas. Gozamos juntos e deitamos juntos na sua cama, terminando com um delicioso oral.

Tomei um banho, dei-lhe um beijo de boa noite, coloquei minha camisola e fui deitar ao lado de seu pai, Ric, que dormia profundamente.

Continuo com Ricardo e depois desse episódio eu e Rodrigo fodemos só mais 2 vezes.
Ricardo é meu macho e que me satisfaz rotineiramente, em breve conto nossas aventuras.
Mandem comentários!

3 comentários sobre “O dia que trepei com filho do meu macho

Deixe um comentário