Enquanto o corno sai, a esposa faz a festa!

Enquanto o corno sai, a esposa faz a festa!

Fazia pouco mais de uma semana que conversava com Raíssa, uma mulher casada com todos os atributos que me chamam a atenção. Morena com os cabelos pretos cacheados e bem compridos, gordinha com seios grandes e coxas grossas. Apesar de termos nos conhecido por causa dos contos, nossas conversas eram bem variadas e nem sempre voltadas a putaria!

Em uma denossas conversas, entrou no assunto do relacionamento com seu marido e das dificuldades que enfrentavam. Sempre foi muito reservada no que diz respeito a sexo e em seu relacionamento com o esposo não via a possibilidade de algo inovador e que pudesse apimentar a relação. Disse que queria mudar isso e até chegou a traí-lo uma vez, mas a experiência não foi das melhores e ele nada diferenciava de seu marido!

Durante a semana havia me perguntado se eu estava com o Domingo disponível e que tinha algo em mente, não havia me dito naquele momento, mas a noite revelou seu plano:

– Vi, aos Domingos meu marido sai cedo de casa para andar de bicicleta e volta só no começo da tarde! Quer me foder?

– Pedindo desse jeito, como posso negar? – disse a ela!

– Então de manhã, as 8:00 eu te busco de carro e de lá, vamos para algum lugar! Você escolhe!

A proposta me deixou excitado a semana inteira e mal pensava em outra coisa! É comum para mim fazer esse tipo de loucura para ficar com alguém, mas essa foi a primeira vez que ia me aproveitar da “folga” dada pelo marido tão cedo e em pleno Domingo! Prometi a mim mesmo que faria valer a pena, afinal, ela já tinha exposto para mim suas fantasias e vontades no sexo e por tudo o conversamos, não precisaria pegar leve! Separei um gel lubrificante HOT concentrado e com isso pretendia matar duas de suas vontades de uma vez… E assim o fiz!

Nos encontramos no local combinado as 8:00 e ao entrar em seu carro, vi que estava toda preparada para a ocasião. Usava um vestido justo e preto que deixava seus seios grandes em evidência e suas coxas descobertas para que eu pudesse ver e apertar a vontade! Estacionamos na garagem privativa do Motel e antes mesmo de entrar no quarto já começamos uma deliciosa putaria!

Pressionei seu corpo com o meu no carro, beijava sua boca e levantava seu vestido ate a cintura apertando sua bunda e cravando meus dedos, mordia seus seios por cima da roupa e os tirei para em seguida circular com a ponta da minha língua seus bicos duros! Virei-a de costas e dei uma palmada pedindo para que empinasse para mim enquanto a encoxava, puxava pelos quadris para que sentisse meu pau duro por baixo da calça jeans que eu estava usando e ter certeza de quanto tesão estava acumulado pelas nossas conversas e provocações diárias até o nosso encontro. Abri o zíper tirando meu pau em riste e sem precisar nada dizer, se ajoelhou e o chupou com vontade engolindo todo:

– Vamos entrar, seu cachorro! Quero você me fodendo!

Entramos no quarto já arrancando as roupas, sentou-se na cama e voltou a me chupar com vontade, engolindo, sugando e fazendo pressão com os lábios na cabeça! Passei a foder sua boca até vê-la engasgar e então tirá-lo todo lambuzado de saliva, ela me olhava safada e parecia satisfeita por realizar tudo o que queria fazer a muito tempo! Coloquei-a de 4 na cama e dava palmadas fortes em sua bunda, a pela clara já ficando vermelha e com as marcas dos dedos já apareciam (Nesse momento me toquei que não poderia marcá-la…infelizmente!), massageei sua buceta por cima da calcinha fio dental branca que usava e tinha comprado para aquela ocasião e com a ponta da língua pressionava seu cuzinho!

Ela gemia alto de tesão enquanto rebolava nos meus dedos antes mesmo que eu penetrasse, a virei deitada na cama e abri bem suas pernas, tirei a calcinha para ficar mais à vontade com sua deliciosa buceta lisa e com lábios carnudos. Seu mel escorria e eu fazia um fio ligando a ponta da minha língua a ela, tirei o gel e pinguei em seu grelo e foi o suficiente para vê-la se contorcer. Segurei suas mãos que tentavam me segurar e ficava observando, assoprando para intensificar a sensação e caí de boca a devorando! Sugava seu grelinho e puxava para depois circular com a língua, penetrei dois dedos abrindo e fechando dentro dela, seu mel escorria por eles e pingava no lençol, estava adorando fazê-la gozar daquela forma e mal tínhamos começado!

Me deitei na cama e a puxei para que montasse em mim. Meu pau escorregou de uma vez para dentro dela por causa do lubrificante e também do mel da sua buceta! Chupava seus seios olhando safado para sua cara de tesão enquanto rebolava e sentava com vontade e nem demorou muito para gozar e cair a meu lado deitada de bruços, ofegante:

– Já cansada? Ainda nem começamos! – Falei sorrindo e dando um tapa em sua bunda!

Me coloquei atrás dela e ficou de 4 para mim novamente, soquei meu pau novamente em sua buceta bombando forte, segurando seus cabelos e batendo em sua bunda com a outra mão! Os gemidos eram agora gritos e pedidos para foder com mais força e dizendo que eu era seu macho, anunciei que ia gozar e então ela me olhou bem safada:

– Vem gozar nos meus seios, vem cachorro!

Sentou-se na cama e colocou meu pau entre seus seios, enquanto eu os fodia, sua boca sugava a cabeça fazendo pressão terminando em uma deliciosa gozada:

– Nossa, nunca tinha feito assim!

– Assim como?

continua depois da publicidade

– Nunca gritei desse jeito! – Disse me olhando!

– Ainda temos bastante tempo!

Ela tomou um banho e voltou para a cama sentando-se do meu lado:

– Se importa se eu fumar? – Me perguntou!

– Não, e agora vai ser a sua vez de realizar um fetiche meu!

– Ah é? Qual?

– Vai me chupar fumando esse cigarro! – Falei me aproximando!

Nunca tive esse fetiche antes, mas depois de muito conversar com uma outra pessoa sobre fetiches e fantasias, isso me despertou uma vontade bem curiosa! Percebi que nos últimos tempos, não tinha saído com nenhuma mulher fumante (Ou se fumavam, não fizeram na minha frente!) então não perdi a oportunidade! Enquanto segurava o cigarro com uma das mãos, com a outra me punhetava devagar passando a língua na cabeça e tirando o líquido pré-gozo que saía. Tragava e voltava a me chupar devagar, engolindo, cuspindo e o deixando bem molhadinho, voltando a punhetar até que o cigarro acabasse! Confesso que tive que me segurar para não gozar em sua boca, coisa que ela sempre me disse que não aprovava!

– Agora, você sabe porque eu trouxe o lubrificante, né?

– Claro, meu cachorro! Mas fode devagar, faz tempo que não dou meu cuzinho!

– Pode deixar, vou foder bem gostoso!

Espalhei o mesmo lubrificante hot na entrada de seu cuzinho e deixei escorrer pela buceta, ia penetrando um dedo nele enquanto com o polegar da outra mão massageava seu clítoris. Tirava e colocava cada vez mais rápido, introduzindo outros dedos. Lubrifiquei meu pau e comecei a penetrar devagar, abrindo sua bunda e pedindo para que olhasse no espelho eu a enrabando!

Ia bombando mais rápido e mais forte aos poucos, ela gritava e pedia para que eu não parasse de foder e fosse mais fundo, falando que o marido não a fodia direito, que ele deveria aprender como eu fazia, rebolava e gemia sem parar! Pedi para que abrisse sua bunda com as mãos e assim podia foder ainda mais fundo até encher seu cuzinho de leite!

Novamente desabamos na cama, cansados e nos demos conta que já estava quase na hora de partir, saímos do motel satisfeitos pela foda e também pela certeza que ainda será repetida muitas vezes!

Espero que tenham gostado

E-mail: [email protected]

Skype: victorlionheart

Instagram: Lionheartvictor

5 comentários sobre “Enquanto o corno sai, a esposa faz a festa!

  1. Ual que contos , mas tá cheio de mulheres assim por ae que marido não satisfaz namorados tbm , sempre umas safadas me chamam no zap pra falar safadezas pena que são de longe se não foderia varias , mas sempre tem umas que contam suas fantasias e falando safadezas querendo ser fodidas bem gostoso que marido não faz direito , sempre falo safadeza com safadas , muitas gozam , só as que não tem frescura se tiver alguma safada só chamar 12974051903

Deixe um comentário