Despertando Fantasias – Parte 1

Despertando Fantasias – Parte 1

Despertando Fantasias – Parte 1

Sou casado há vários anos. Amo minha esposa e como a maioria dos homens, este fato não me impede de fantasiar e ter outros desejos.

Nosso relacionamento é muito bom e apesar de nosso ritmo sexual ser bem diferente, quando estamos na intimidade, é realmente muito bom.

Ocorre que de uns tempos pra cá, vendo alguns vídeos, começou a me despertar o desejo de ver minha mulher sentir prazer com outra pessoa –

Com minha participação, porém, havendo um terceiro ou terceira personagem envolvido. A ideia ficou vagando pela minha cabeça, mas o misto  de ciúmes com insegurança, fez com que isto ficasse somente na ideia.

 

Um certo dia, em uma conversa comum de casal durante a noite e já em nossa cama, comecei a falar para ela sobre fantasias, desejos e como eu gostaria que ela tivesse estes tipos de vontades e os manifesta-se a mim.

Assim, poderíamos manter o casamento fora da rotina e colocar uma pimentinha a mais no dia a dia.
Ela sempre foi muito recatada e por conta de sua criação, desde que nos conhecemos que ela não aborta muito este tema.

Após a conversa, sentamos encostados na cabeceira da cama e resolvemos começar a ver alguns vídeos. Aos poucos senti ela ficando excitada.

Estávamos deitados na cama. Minha esposa é linda, branca, cabelos loiros não muito claros, magrinha com uma bunda redondinha e seios médios que naquele momento já se faziam aparecer  sob sua blusa.

Estámos entre carinhos assistindo no celular mesmo e eu discretamente fui descendo o toque leve dos dedos, do braço para a cintura, da cintura para coxa e como quem não quer nada fui direcionando a mão no sentido da calcinha dela.

Os vídeos que eu escolhia propositalmente eram de casais “brincando” com um amigo ou uma amiga e nada de vídeos montados, somente aqueles amadores, mais real possível.

Ela tentava disfarçar, mas a respiração já estava alterada, se eu lhe dava um beijo no braço, podia sentir os pêlos se arrepiando.

Quando minha mão esquerda chegou à calcinha dela, meu membro quase explodiu ao sentir o quanto ela estava molhada. Aparentemente, a ideia de fazê-la fantasiar havia tido sucesso.

continua depois da publicidade

Sem resistir de tesão, coloquei a calcinha dela de lado, ela ajeitou as pernas para ajudar e deu uma olhadinha de canto para mim, sem tirar os olhos do vídeo.

Comecei a dedilhar aquela bucetinha depilada levemente e em retribuição, ela me deixava seu caldinho entre meus dedos. Vez ou outra eu fazia questão de levá-lo à boca para provar daquele delicioso mel.

Ela quis retribuir os carinhos e enquanto sua mão direita segurava o celular, a esquerda entrou por minha cueca e começou a acariciar. Devo admitir que ela conhece muito bem os locais nos quais sou mais sensível.

Com o dedo médio e o polegar ela segurava levemente a cabeça do meu pau latejante e com o dedo indicador fazia carinha subindo e descendo de forma que eu podia sentir a unha dela durante o movimento de subida, algo que me dava muito tesão.

Com ambos já pegando fogo, o celular foi deixado de lado, e nesta deixa, parei de dedilhar e introduzi lentamente dois dedos.

Conforme meus dedos iam entrando, ela ia desencostando da cabeceira e escorregando na cama. Comecei a fazer movimentos circulares e com isso sentia o líquido escorrer pelos meus dedos.

Nesta hora, me virei completamente para ela e enquanto à masturbava com a mão esquerda, chupava os seios dela rígidos de desejo.

Eu adoro vê-la deste jeito, molhada, cheia de vontade de gozar. Os anos de convivência nos ensinam os atalhos do corpo da nossa parceira.

Ao sentir a respiração dela, comecei a aumentar o ritmo e agora já não eram movimento circulares, era toques mais fortes como que encaixando aquela deliciosa buceta em minha mão.

Após pouco movimentos eu ouço a voz dela sussurrando deliciosamente: “Não para amor, está vindo…”
Ahhhh que delícia ouvir isso. Com mais alguns movimentos, senti ela apertar a minha mão com as pernas e gemer de prazer.

Eu diminui o movimento e ela abre os olhos e me fala com a cara de quem ainda nao voltou do céu: “Gozei amor”…

Continua em breve…

Deixe um comentário