Dei minha buceta para o dono do FoodTruck – Eu sou safada

Oii, meu nome é Laura e tenho 23 anos. Vou começar contando um pouco sobre mim. Tenho 1,64 de altura e 53 kg. Meu cabelo é loiro e comprido. Sou do tipo que chama atenção quando passa. Me considero uma mulher bonita e atraente. Além disso, sou estudante de Engenharia.

Como já li vários contos neste site e gostei muito deles, resolvi compartilhar uma coisa que aconteceu comigo há algum tempo. Sou noiva de uma cara maravilhoso, lindo e gostoso. Mas o que vou contar aconteceu com outro homem.

Na rua onde eu trabalho tem um FoodTruck de comida do oriente e o dono é um homem muito bonito. O nome dele é Kaled (fictício, é claro). Ele não é muito alto, é moreno e tem um corpo lindo, e como está há pouco tempo no Brasil, ele tem um sotaque muito atraente. Eu já tinha notado como ele era bonito, até que um dia, quando eu fui buscar meu almoço, ele estava na frente do FoodTruck.

Ele ficou me encarando com muito desejo mesmo. Consegui ver no olhar dele a vontade que ele estava de me pegar, meter em mim, me castigar muito em sua pica. Vi que até as pessoas que estavam com ele olharam para mim também. “Sou noiva! Então não devo nem olhar!”, pensei comigo e continuei meu caminho sem dar muita atenção.

Quando eu estava voltando para o meu trabalho ele ainda estava lá dentro do seu carro. Passei por ele e pensei, rindo por dentro: “Pronto! Resisti a mais uma tentação”. Foi então que ele ligou o carro, andou e parou um pouco mais na minha frente.

“Meu Deusss! Ferrou! Agora vou ter que enfrentar essa situação!”, pensei.
– Oi, como você está? – ele me chamou e me perguntou.
– Estou bem, obrigada… e você?
– Estou ótimo! Eu sei que pode parecer estranho… mas, me dá seu número de WhatsApp? – ele me pediu, com a voz muito sedutora.

– Não posso, moço!… sou noiva! – respondi prontamente.
– Que pena!… não acredito nisso!… mas tudo bem! – ele concordou, conversamos mais um pouquinho e segui meu caminho, só pensando em como eu poderia ter qualquer homem que eu desejasse, por ser tão nova, eu queria viver experiências novas e diferentes, já que meu relacionamento andava meio morno.

Fiquei um tempo pensando no que eu deveria fazer. Então resolvi procurar o FoodTruck dele no Instagram para ver suas fotos. Havia muitas daquelas fotos que ficam 24hs. Não contive minha curiosidade e resolvi ver, principalmente as fotos nas quais ele estava. Mas foi só para ver mesmo. O problema é que a pessoa consegue saber quando alguém visualiza a sua foto.

Na mesma tarde recebi uma mensagem dizendo apenas: “Que pena!”. Na hora fiquei muito excitada pensando como seria dar para ele, gozar no pau dele, e fazer ele gozar também. Então tomei coragem e respondi: “Se você quiser SOMENTE se divertir, sem esperar mais nada do meu lado, a gente pode conversar, pois não quero terminar com o meu noivo de forma alguma”.

Na hora o Kaled topou minhas condições e começamos a conversar, até que eu consegui uma brecha na minha rotina, pois, com a faculdade, trabalho, academia e dança, ficava bem difícil de sair. Marcamos um dia no horário do almoço. Ele me buscou no lugar combinado e fomos direto para o motel. Eu estava com um pouco de medo, pois nunca tinha traído meu noivo.

No caminho ele já começou a alisar minhas coxas. Eu estava usando uma saia um pouco curta e ele aproveitou, passando os dedos levemente e depois, descaradamente, passando a mão. E eu estava adorando aquilo, apesar de estar com muito receio de ser flagrada no carro dele.

– Hummmmmm… cuidado com essa mão! – falei baixinho e com meus olhos fechados quando ele, com jeitinho, enfiou a mão por debaixo da minha saia e passou a ponta do dedo bem na minha rachinha, por cima da minha calcinha. Com certeza ele percebeu que minha xoxota já estava toda meladinha e pronta para ser penetrada.

O Kaled continuou me bolinando discretamente até chegarmos ao motel. Quando chegamos ele já abriu a porta da suíte e entramos. Fui correndo para o banheiro fazer xixi e recuperar o meu fôlego. Quando voltei ele estava deitado na cama, só me esperando.
– Preciso tomar alguma coisa antes… meu deusssss… estou até sem ar! – falei e começamos a rir.

Abrimos uma garrafa de vinho e começamos a beber, ou melhor, eu a bebi quase sozinha, pois eu estava muito nervosa. No entanto, a conversa foi desenrolando, aquele clima de sexo no ar, minha buceta ficando molhada, o pau dele já muito duro. Até que não resistimos mais.

– Vem cá… vem! – o Kaled falou e me arrastou para cima dele. Nos beijamos loucamente. Eu montada na cintura dele e suas enormes mãos apertando a minha bunda, puxando minha calcinha e enfiando ela todinha no meio das minhas nádegas.

Enchi minha boca de vinho e o beijei novamente, passando uma boa quantidade para a boca dele. Eu estava realmente muito excitada, sentadinha em cima daquela rola super dura, querendo pular para fora. Com jeitinho ele tirou minha blusa, meu sutiã e ficou alguns segundos olhando para os meus seios, a poucos centímetros de seu rosto. E aí aconteceu.

– Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh… que delíciaaaaaaaa…! – deixei escapar quando ele começou a chupar os biquinhos dos meus seios, um de cada vez. Que sensação mais agradável! Eu adoro quando um homem mama em mim, chupa meus peitos, dando mordidinhas nos mamilos. E foi isso que ele fez durante vários minutos, até que me levantei e fiquei de costas para ele, esperando.

De imediato ele entendeu o recado e veio por trás de mim, tirando a minha saia e descendo a minha calcinha, lentamente. Então, quando eu já estava completamente pelada, ele veio e deu uma tapa bem forte na minha bunda.
– Realmente, Laura… você é muito gostosa, menina! – ele falou e me arrepiei todinha. Eu estava quase morrendo de vontade de dar pra ele logo.

continua depois da publicidade

E ele também estava louco de vontade de enfiar em mim. Rapidamente ele tirou sua roupa e seu pau saltou para fora, super duro.
– Aqui… vem… fica assim… isso, menina… empina mais um pouco… abra as pernas um pouco… assim… isso… que delícia… que bucetinha mais linda! – ele falava isso e me ajeitou na beirada na cama, de quatro pra ele.

– Ohhhhhhhhhhhhh… deusssssss… aiiiiiiiiii… que gostosoooooo… faz bem gostosoooooo… ahhhhhhhhhh…! – gemi e soltei gritinhos quando ele me segurou firme pela cintura e seu pau foi entrando em mim, deslizando, me abrindo centímetro por centímetro, me enchendo de rola. Mesmo usando camisinha eu sentia como o pau dele estava quente, e isso fez meu tesão aumentar de forma incrível.

Por vários minutos ele me comeu de quatro, bem gostoso. De vez em quando ele dava uns tapas na minha bunda e enfiava bem fundo mesmo. E eu só rebolando no pau dele, gemendo, soltando gritinhos e pedindo pra ele meter sem dó e me fazer gozar. Depois ele se deitou de barriga e eu fui por cima. Cavalguei super gostoso no pau dele, subindo e descendo, rebolando e beijando sua boca. Até que ele não aguentou mais.

– Ahhhhhhh… vou gozarrrrr… rápidooo… vem aqui… vem… issooooo… assimmmmmmmm…! – ele me tirou de cima dele, arrancou a camisinha e gozou na minha cara e seios. Que quantidade enorme de porra! Fiquei toda lambuzada de esperma quentinho. Fui atingida até nos meus olhos e cabelos. Foi uma pena que o pau dele não era maior, pois eu queria dar para um homem com um pauzão realmente grande.

Peguei a toalha, limpei meu rosto e fiquei deitada na cama enquanto o Kaled foi tomar um banho. O coitado meteu tanto que tinha ficado até suado. Sozinha e esperando ele voltar eu fiquei me masturbando e assistindo um filme pornô. Eu ainda estava super molhadinha e precisando de carinho na minha xoxota.

Não demorou muito e ele voltou e viu o que eu estava assistindo na TV.
– Você já transou com mais de uma pessoa? – ele me perguntou, dando um beijinhos nos meus lábios.
– Nunca tive a oportunidade… e meu noivo não gosta da idéia de me dividir! – respondi.
– Então espera aí! Vou ligar para um primo meu vir aqui te comer também!

Deus do céu! Na hora que o Kaled falou isso e pegou o celular eu me tremi todinha. Fiquei muito assustada. Eu já tinha dado muito para ele e não saberia se eu daria conta do primo dele também. Além disso, eles ia ficar metendo em mim a tarde inteira. No momento eu era minoria, talvez se tivesse uma outra menina junto eu até ficaria mais animada.

– Vamos deixar para um próxima vez… pode ser? – falei, quase implorando, e ele acabou concordando. Depois que ele largou o celular eu abri bem minhas pernas e dei um sorriso. Ele entendeu e veio me chupar bem gostoso. Gemi e vibrei muito na língua dele. O Kaled é o tipo de cara que chupa com vontade mesmo, sem nojo, beijando, lambendo e sugando a xoxota de todas as formas possíveis.

Depois que gozei na boca dele, eu pedi pra ele ficar deitado e aí foi a minha vez de retribuir. Fiquei vários minutos chupando bem gostoso, com muita vontade mesmo.
– Isssooooooo… Laura… isso mesmo, menina… que boquinha quentinha é essa?… hummmm…! – ele gemia e ficava me elogiando o tempo todo. E eu só mamando na vara dele, com a minha boca bem molhadinha e gulosa.

– Quero te foder mais um pouquinho… você quer? – ele me perguntou, com o pau quase estalando de tanto duro.
– Nós viemos para isso, não foi?… vem! – respondi e me sentei em uma daquelas cadeiras eróticas que tem em quase todos os móteis. Fiquei bem empinadinha e pedi pra ele meter com força em mim, por trás, do jeitinho que eu gosto.

– Fodeeeee… fodeeeeee… amorrrrrr… me castiga nesse seu pau, amor… me arregaça todinhaaaaaa… tudoooooo… bem fundooooo…!! – comecei a soltar gritos de puro prazer, pois eu gosto de sexo mais selvagem, coisa que meu noivo raramente faz.
– Sua gostosa… que buceta mais deliciosa, Laura… apertadinha… quente… geme gostoso no meu pau… ahhhhhh…!! – ele me apertava e metia a pica sem dó mesmo.

– Aiiiiiii… fodeeeeeee… meu deusssss… fodeee… amorrrrr… me bateeeee… bate maissss… bateeeeee… mete com força… com força mesmo… sem dó, tá?… me castigaaaaa… ahhhhhhhhhh…!! – eu ficava falando e ele dava fortes tapas na minha bunda, me levando à loucura.

Nem me lembro quantas vezes eu gozei só nesse posição. De repente ele soltou um gemido mais longo, tirou o pau de dentro de mim rapidinho e novamente senti seus jatos de porra no meu rosto, seios e cabelos. Que loucura!!!

Fomos para o banho esgotados, mas muito satisfeitos. Depois de nos agarrarmos mais um pouco, saímos do motel e ele me deixou perto do meu trabalho. Até hoje ele ainda fica mandando mensagens para sairmos de novo, mas resolvi dar uma pausa para ele não se apaixonar. Não quero ninguém me incomodando, nem a mim nem ao meu noivo.

Estou pensado ainda se tenho coragem de transar com dois homens ao mesmo tempo. Fico muitooo excitada só de pensar, dois paus só pra mim, dois homens safados e tesudos revezando na minha buceta, de preferência dois caras bem dotados, piconas grossas. Se rolar volto para contar aqui no site.

Como disse no início, estou a procura de novas experiências. Quero transar com outra mulher também. Ainda não tive oportunidade mas quando tiver não vou deixar passar. Sonho em chupar uma pepeca e deixar outra mulher me chupar.

Espero que tenham gostado da minha história e se masturbem bem gostoso quando lerem, me imaginando peladinha. E deixem comentários bem safados para mim. Beijosss e até a próxima.

6 comentários sobre “Dei minha buceta para o dono do FoodTruck – Eu sou safada

  1. nossa fikei ate exitada queria te conhecer pra mim chupar vc todinha e vc mim chupa tam bem sou mulher ta nao sou lesbica mas tambem tenho uma vontade louca de trazar com outra mulher

  2. Procuro mulher fogosa ou casal liberal cujo marido queira ver sua amada transando comigo. são paulo capital e interior de sp, campinas e viajantes.
    Tenho local mas posso ir até vc
    Não quero prostituição, baixarias e sexo virtual.
    Contato inicial pelo e mail
    [email protected]

Deixe um comentário