Conto Erótico 1 – O dia que comi minha prima

Me chamo Giovani e tinha 18 anos quando aconteceu essa história. Tenho uma prima mais velha, Ana, de 30 anos. Nunca contei esta história para ninguém.

Certa vez, estava visitando meus avós e esta minha prima estava por lá. Enquanto meus outros primos se reuniram para assistir um filme na sala, a Ana estava em seu quarto de porta fechada.

Por ser muito mais velha, em geral não interagia conosco. Eu não deixava de notar, desde mais novo, o tanto que seu corpo era sexy. Ela é alta, com 1,79m, branca com cabelos pretos, nunca teve muito peito até colocar silicones, o que a deixou ainda mais gostosa.

Tem cintura fina e é bem magra, com uma bunda mediana, do tamanho que eu gosto. Ela nunca deu muita bola pra mim, afinal, temos idades muito diferentes. Neste dia, estava disposto a mudar isto.

Me despedi dos meus primos com a desculpa que estava cansado do dia e queria dormir um pouco. Fui até o quarto de Ana e bati na porta. Ela disse q eu podia entrar. Entrei, e ela estava com uma calça de pijama bem fina, que mostrava sua calcinha, e camisa que fazia par com a calça.

Ela perguntou o que eu queria e comecei a conversar. Depois de conversar sobre o que ela estava fazendo, perguntei se ela gostava de receber massagens, uma vez que eu sabia fazer muito bem e queria testar novos movimentos.

Ela disse que sim, e se deitou de costas para que eu pudesse massageá-la. Comecei massageando os braços, a única parte do seu corpo que estava nua. Passava os dedos em sua pele macia, fazendo movimentos circulares.

Em seguida, desci meus dedos para massagear suas mãos, fazendo movimentos circulares e de vai-e-vem. Segurei suas mãos nas minhas e reparei que as mãos dela estavam suadas, e vi q ela estava nervosa, ao mesmo tempo que estava curtindo.

Falei para ela relaxar os músculos da face, para que tivesse uma massagem mais prazerosa. Ela me ouviu e conseguiu relaxar melhor ao meu toque. Subi minhas mãos por seu braço até chegar na manga da camisa.

Coloquei minha mão por dentro da blusa e massageei um pouco seus ombros pela parte de trás. Refiz todos os movimentos em seu outro braço.

Então, pude começar a massagear suas costas. Eu já estava louco, de pau duro e querendo comê-la, mas sabendo que tinha que me concentrar na massagem.

Coloquei minha mão sobre sua camisa e comecei a massagear suas costas. Ela soltou um pequeno gemido de prazer, e eu senti que estava fazendo progresso.

– Nossa primo, sua massagem é muito gostosa – ela falou.

Continuei a fazer os movimentos acompanhando a direção de seus músculos.
Comecei a passar a mão na lateral de seu corpo, inclusive passando a mão ao lado de seus seios.

Sendo mais ousado, coloquei a mão por baixo da camisa e comecei a massagear sua lombar. Ela não reclamou, então continuei subindo a mão, e juntamente com ela, a sua camisa.

Aos poucos, ela foi ficando semi-nua. Então, ela perguntou se tirar sua camisa ajudaria com a massagem, e eu disse que sim. Assim, ela pediu para que eu olhasse para o outro lado e eu obedeci.

Ela tirou a camisa e se deitou de bruços. Vi suas costas nuas e minha vontade aumentou ainda mais. Continuei a massagear suas costas, com ainda mais vontade. Subi meus dedos até sua nuca, onde comecei a passá-los com muita leveza, para que ela sentisse um calafrio e se arrepiasse dos dedos do pé à cabeça.

Funcionou. Ela se recontorceu e soltou mais um gemido de prazer. Passei meu dedo por sua orelha e por seus cabelos, de forma carinhosa. Senti sua respiração ficar mais forte.

Desci meus dedos por suas costas, fazendo movimentos de vai-e-vem com a ponta dos dedos. Ao chegar em suas calças, não parei e continuei descendo. Antes que ela pudesse me impedir, passei a mão em sua bunda e desci minhas mãos até seus pés.

Ela se mexeu, mas não reclamou. Massageei seus pés e seus dedos e subi pela perna, massageando suas coxas com ambas as mãos. Quando cheguei perto de sua bunda, desci as mãos pela lateral da perna e senti a sua virilha úmida.Massageei a virilha, e ao perceber que não havia sinais de que deveria parar, coloquei minha mão em sua bucetinha e fiz movimentos circulares.

continua depois da publicidade

Estava molhadinha e ela começou a gemer de prazer, baixinho para que ninguém lá fora pudesse ouvir. Neste momento, ela sozinha começou a empurrar suas calças para baixo, e eu a ajudei puxando até o fim.

Ela ficou só de calcinha, mas queria mais.Então tirei tudo e ela ficou completamente nua. Continuei a massageá-la na xota, que estava com pelos baixinhos, e toda molhadinha.

O cheiro que exalava era gostoso; ela tinha acabado de tomar banho. Enfiei o dedo do meio em sua xota, de início só a pontinha. Em seguida enfiei tudo, e ela se contorceu inteira de prazer. Sua xota apertou meu dedo com força e ela se virou de frente para mim, com cuidado para que meu dedo não saísse de sua xotinha apertada.

Então vi seu corpo inteiro nu. Ela era muito mais gostosa do que eu imaginava. Barriga lisinha, seios fartos com um mamilo um pouco mais escuro que sua cor da pele, e com o biquinho saltando para fora de prazer.

Ela me olhou nos olhos. Tirei o dedo de sua xota, peguei em seus cabelos e puxei sua boca em direção ã minha.
O beijo era ainda mais gostoso, ela enfiando sua língua fundo dentro de minha boca e eu retribuindo, um beijo extremamente molhado.

Ela tirou minha camisa e continuamos nos beijando. Desci minha boca para seus peitos e comecei a chupá-los com vontade, mordendo o mamilo e lambendo em volta. Ela quase não conseguia conter seus gemidos, e tive que colocar uma mão em sua boca para que ninguém ouvisse. Isso a deixou ainda mais louca, e ela empurrou minha cabeça para sua xota.
Antes de descer, subi em seu ouvido e disse:

– Sua safada – e beijei sua boca.

Desci para sua xotinha molhada e cheirosa, e comecei a lamber direto o clitóris.
Ela gemeu e abriu mais as pernas.

Desci a língua para sua bucetinha que estava toda abertinha querendo pica.
Coloquei minha língua lá dentro e suas pernas se fecharam contra minha cabeça.Comecei a subir e descer a língua, passando pelo clitóris e por sua buceta aberta.

Ela começou a se contorcer toda, me empurrou e virou de lado e vi que tinha tido um orgasmo.
Quando terminou de se tremer, pegou no meu pau e bateu uma punhetinha bem rápida pra mim e vi que a cachorra já tinha muita experiência.

Ela abriu a boca e, ainda deitada meio de lado, enquanto eu estava em pé ao lado da cama, começou a chupar meu pau. Começou se concentrando na cabecinha, o que me deixou louco. Mas não demorou muito para querer colocar todo meu pau dentro de sua boca.

– Sua putinha – eu disse

Ela parou de chupar, olho pra cima

– Come sua putinha com esse seu pauzão.

Não exitei, coloquei ela de lado e comecei a bombar forte sua bocetinha, que oras se abria para receber meu pau, e oras apertava com força com tesão.

Não demorou mt para que ela gozasse de novo, ainda nesta posição.
A cachorra então se virou e ficou de quatro, arregaçando aquele cuzinho para cima. Coloquei a cabecinha do pau na buceta e comecei a pincelar toda aquela buceta,movimento que a fez gemer.

Então comecei a bombar devagar, para que não fizesse muito barulho. Enfiei meu pau inteiro, e senti que ele começou a encostar no fundo. Toda vez que fazia isso ela ficava louca, e comecei a fazer com mais força.
Quando ela começou a tremer de novo, não me aguentei e gozei dentro de sua bucetinha enquanto ela tinha outro orgasmo.

Nos limpamos e eu coloquei a roupa. Tinha que voltar pro quarto antes que meus primos terminassem o filme. Dei um beijo na boca dela antes de sair, e ela pediu para eu retornar no outro dia.

Desde então, fodemos gostoso quando vou visitá-la, mesmo depois que ela começou a namorar e eu também. E quanto mais nos vemos, melhor fica nosso sexo.

2 comentários sobre “Conto Erótico 1 – O dia que comi minha prima

Deixe um comentário