Aventuras de um casal apaixonado

Aventuras de um casal apaixonado

Ruivos encaracolados, olhos mel, orelhas de abano, um sorriso espontâneo hipnotizante. Pele branca, macia e lisa com inúmeras tatuagens. Mas o que realmente me chamou atenção foi o seu desprendimento, abnegação, sua independência… O que gata queria fazer, gata fazia. Humilde, simples e inteligente acima de tudo.

Certa vez fizemos uma loucura e descemos ao litoral norte numa quinta feira útil, um sol de 32 graus sem destino algum, apenas descemos. Sem nenhuma responsabilidade, às 11hs da manhã eu a convidei para um banho de mar e gata aceitou!

Não acreditei. Não conseguíamos nos segurar de tanta ansiedade. A ideia de não saber o que iria rolar era sensacional… Parecíamos adolescentes fugindo pra aprontar algo.

Gata é a dona do melhor boquete do mundo!

Sensação única pra qualquer homem e certamente qualquer mulher, e o melhor, gata adora fazer. Uma verdadeira boqueteira. Molhadinho, bem babado, gata segura com as duas mãos e olha pra você com fome de rola! Cospe, lambe de cima abaixo, chupa as bolas, tudo! Aquela boca quente, molhada e doce é capaz de engolir qualquer rola, qualquer tamanho!!!!!

E foi assim que descemos da porta da casa da gata até pé de areia chupando maravilhosamente a minha rola. Foi o melhor boquete que recebi. Subia e descia com uma maciez incrível e, na medida em que passávamos ao lado de outros carros nossa excitação só aumentava, pois estávamos totalmente desinibidos.

Nem no pedágio gata deixava de chupar meu pau, que aquela altura, estava latejando e pulsando de tanta tentação. E gata sentia aquilo tudo em sua boca e não largava!!!!

Ao entardecer chegamos à Praia de Paúba que fora de temporada é praticamente deserta. Das pedras acompanhamos um incrível por do sol, tudo regado à catuaba, cerveja, energético e vodca.

Assim que a noite chegou, acompanhada duma maravilhosa lua cheia, propus nadarmos nus e, antes mesmo de terminar a frase gata já estava correndo peladinha na areia em direção ao mar, que cena foi aquela!

Que delícia de mulher, a mais gostosa que já tive a oportunidade de conhecer! 27 anos, pele branca lisa, lisa, ruiva, depiladinha do pé aos ombros.

Os seus seios, ahhhhhhh, que lindos seios. Grandes, mas na proporção certa das minhas mãos e minha boca. Redondinhos, perfeitos, rosados, rosados por inteiro.

Ver ao vivo, ao seu lado, aquela Deusa ruiva, com sua pele por inteira sendo refletida pela luz da lua cheia, que tomava o céu estrelado, limpo. Uma noite verdadeiramente mágica. Aquela cena, típica de cinema, de série de tv premiada…

Ver aquela gata ruiva correr em direção à água, nua, gata gargalhando e pulando na água como se fosse a prima vez de uma criança. Enquanto isso, seus seios lindos e rosados seios acompanhavam seu balanço no mar, já toda molhadinha com os bicos apontando pra lua…Indicando seu desejo naquele momento.

Fiquei um tempo estático, somente contemplando e desejando com olhos cheios de fome, já havia percebido que o momento era único pela própria pessoa que estava lá só pra mim, exclusivo! A Gata é a moça mais linda de toda a cidade, a gata é a inspiração de Alceu, Zé, Fagner e outros poetas, certamente.

Pulava e se divertia na água, cabelos molhados, aquele corpo perfeito, coberto pela espuma do mar noturno… E o bumbum, que bumbum, Deus do céu. Paola ficaria com inveja. Não há uma estria ou qualquer outra marca naquele sublime bumbum, que não sejam das minhas mordidas, claro!

Conforme as ondas batiam com força naquele bumbum maravilhoso meu pau ficava ainda mais duro e grande, estava incrível naquele dia, sem exageros. A Gata o deixou parecendo um mastro cheio de veia latejante, grande, quente e pulsando de tanta excitação.

Ali mesmo pensei rapidamente:

como outros caras, ex-namorados, ficantes e ou parceiros a deixaram escapar, a deixaram, não preservaram a relação? A Gata é simplesmente maravilhosa!

Uma putinha safada na cama, uma verdadeira cadela, que faz porque gosta, e gosta de verdade e faz tudo. Mas fora da cama, sabe bem a hora de ser uma mulher, garotinha, uma menina, uma dama, além de muito inteligente. Sabe se portar em qualquer ambiente.

Capaz de conquistar qualquer homem, ou mulher. Ali eu era certamente o mais sortudo. E, todos (se houve na mesma intensidade) que um dia a tiveram, também podem se considerar sortudos.

Não aguentei mais, arranquei minha roupa em segundos e corri pra junto da gata no mar, ali mesmo já começamos a nos pegar, e pra valer. A pegação na água estava boa e as ondas conforme batiam em nossos corpos colados um noutro nos encaixava ainda mais…

As ondas ficaram um pouco mais fortes, foi então que a levei para as pedras bem no canto da praia. A joguei nas rochas já de quatro e de pronto já iniciamos um sexo ardente, intenso, bem pegado, como nunca havia feito. De quatro bombeava com força enquanto gata gemia alto, sem qualquer inibição, pedindo mais e mais.

“Amor, fode mais forte, fode com força vai mor, delícia” dizia e gemia mais: “vai meu tesudo, meu pausudo, fode a sua cadelinha fode sua putinha. Aproveita agora que sou toda sua e enfia esse pau delicioso na minha buceta que hoje ela tá numa tentação só!”

Gata falando assim, combinado com a minha visão ali daquele nu exuberante de quatro na minha frente, todinha pra mim, com a luz da lua cheia e das estrelas cintilando todo aquele delirante ato, MEU DEUS, foi inexplicável! Com a mão esquerda puxava seu cabelo, sempre com muita força, pois é assim que gata gosta do sexo:

COM FORÇA, SEXO BRUTO!

E eu então, nem se fala. Com a mão direita eu castigava aquele bumbum maravilhoso, delicioso… Dava tapas, apertava, alternava segurando sua cintura, sempre com força.

A Gata gemia feito uma cadela (rsrsrsr) no cio puro da lua cheia, e pedia mais, a safada. Por vezes, eu quase sem folego e a gata pedindo mais e mais. A situação ali foi inexplicável. Que excitação do caralho foi aquela, que loucura!

Então, percebi que quatro funcionários de uma pousada próxima acompanhavam tudo, lance que nos deixou num frenesi total. Aí que ficamos desinibidos de verdade. Eu particularmente já fiz várias loucuras por ai, mas a gata naquela noite não recusava nada. Estava impossível segura-la.

continua depois da publicidade

Aproveitando todo aquele desejo louco de nos consumirmos como fogo, ela pediu para que eu a chupasse ainda de quatro e assim o fiz, deliciosamente como um prato de lasanha depois de uma maratona caí de língua, boca e tudo mais de direito naquela buceta que igualmente aos outros atributos, também me chamara muito à atenção.

Uma verdadeira buceta bem na concepção da palavra é o exemplo do conceito de buceta. Grande, molhadinha, que delicia de buceta. E que bucetasso era aquele. Amigos leitores, a mulher é um furacão por completo! To dizendo por experiência própria

– Obrigado Meu DEUS!

A exata pata de camelo. Com um grelo admirável de enorme, imenso, rosinha, do jeito que todos nós gostamos… Dá pra fazer de chiclete e mascar… Aliás, é um dos meus passatempos prediletos. Acabei-me de chupar aquela gata, me esbaldei mesmo e dei tudo o que ela queria, do jeito que ela gosta!

Roçava minha face com barba por fazer nela todinha, e ela se molhava ainda mais de tanto desejo. Dava pra sentir sua bucetinha se retraindo. Só ali, gozamos litros juntos, sempre gemendo muito alto… Casal safados que somos só poderia ser assim.

Mudamos de posição, a gata sentou no meu colo de costas para mim, uma das que mais gostamos, foi então que ela começou a cavalgar loucamente tal como uma genuína amazonas, nem se importando com os funcionários da pousada.

Sempre gemendo e pedindo mais… A essa altura ela olha pra trás com cara de safada que só ela sabe fazer e sem parar de sentar (forte) dizia:

“Vai meu nego, fode, fode com força sua bucetinha, só sua, fode meu macho, meu cachorro!”.

E praticamente pulava em meu pau com tanta vontade que fazia aquele delicioso som dos nossos corpos se batendo, hummmm que delícia. Certamente os funcionários da pousada ouviam tudo. Então ela virou de frente pra mim, eu jogado nas pedras e ela sentada na minha vara que até doía de tão dura que estava naquele momento.

Com movimentos cada vez mais insanos, seus lindos e belos seios rosa batiam na minha cara e com as mãos eu apertava seu bumbum a trazendo (sempre com força) de encontro a mim. Eu parecia um pintinho no lixo, uma criança solta na Disney, era certamente o cara mais feliz do mundo naquele momento.

Gozamos litros novamente

Uma pequena pausa para respirar. Que nada, a pausa era para pagar aquele boquete que só ela sabe. Foi então que se ajoelhou na areia, abriu aquela linda boquinha e iniciou outra bela chupada (nunca deixa a desejar). Enquanto engolia todo o meu pau, até as bolas, com maestria, um casal devidamente vestido se aproximou e começou a nos olhar, numa distancia de uns 10 metros.

Pra mim ficou claro que se tratava de um casal voyeur, e naquele momento optei por deixar rolar. A gata no inicio ficou um pouco inibida, mas aos poucos foi se soltando e quando dei por conta, ela já era a atração principal. Ainda me chupando, segurava sua cabeça com as duas mãos e sempre com força, pois do jeito que adoramos a fazendo engolir tudo, até as bolas…

Sem brincadeira, que boca nervosa! Nasceu pra isso. Entre os sufocamentos (sempre com prudência apesar da força) e cuspis ela fazia de tudo pra engolir e deixar tudo bem babadinho. A plateia indo ao delírio já via alguns homens se masturbando, timidamente, mas via.

Para minha surpresa, o casal aproximou-se em total silêncio. Foi então que eu consegui ver um pouco melhor os dois. Ambos na faixa dos 40 anos, Lindos, morenos, e pareciam ter nível sócio cultural bem acima da média, apesar de sua simplicidade.

Bem fisicamente, ele mais – com porte físico avantajado, barba, 1,80, cabelos raspados pretos. Daqueles que treinam e se cuidam pra valer (devo confessar era bonito), ela morena mais bronzeada, cabelo liso preto, óculos de grau, uma bela cintura, com um belo par de seios e uma bunda enorme. Ela era a mais safada do casal. Fora a que mais se aproximou de todos os que estavam acompanhando a cena antológica.

A gata já estava numa excitação incontrolável pela situação e nem percebeu a aproximação dela. Neste momento propus à gata se ela toparia do casal participar, e ela aceitou! De prima! Aquela altura tudo era válido para saciarmos nossos desejos.

Acenamos para que se aproximassem mais de nós, mas apenas ela do casal veio e já colou na Gata… Prato principal daquele banquete. Ele preferiu ficar olhando na mesma distância apenas se masturbando.

A gata ousada como estava naquela noite linda não perdeu tempo e já começou a namorar ela… Beijos firmes e ousadas carícias de amor como ela fazia comigo. Nós – eles dos casais, e toda a plateia da pousada acompanhávamos tudo com muito furor.

As duas se pegavam como um casal apaixonado que não se via há anos, coisa louca de se ver, o pau sempre muito duro e quente de muita excitação naquela noite. Enquanto ela se despia, com ajuda da gata, ele se masturbava assim como eu. Deixamos as duas brincando por um bom tempo e como se divertiram hein! E todos os espectadores babando na cena mágica que rolou sob aquele lindo luar.

Ela ordenou que a Gata sentasse nas pedras, de frente com as pernas abertas, ajoelhou-se e começou uma das cenas mais inesquecíveis que já presenciei. Deu inicio a uma bela duma chupada na gata, chupava com vontade, enquanto todos eles na punheta a gata tinha vários orgasmos. Dava pra ver ela se contorcer, e ao que pareceu ela também era boa com a boca.

Foi quando me aproximei da gata, que naquele instante estava chupando deliciosamente ela. Peguei a gata de quatro de novo daquele jeito, violentamente eu socava minha estaca em sua buceta deliciosa. A cada estocada ela tomava um sopro de ar e o barulho típico da cena, hummm delicia, adoro isso.

Aquela altura quem estivesse na praia, ainda que na escuridão total conseguiam acompanhar facilmente nossa aventura. Eu já em estado de ebulição, a gata então estava se contorcendo nas pedras junto com ela do casal… Comia a gata como nunca havia comido antes, com força, com vontade…

Nossos corpos roçando um noutro, numa mistura deliciosa de areia com nosso suor, respirações ofegantes tal como adolescentes, seus cachos ruivos entrelaçados em meus dedos e eu puxando ela pra trás com força, enquanto com a outra mão segurava fortemente sua cintura e a gata chupava ela do casal.

Por fim, elas se ajoelharam perante nós, com certeza eu bati uma das mais gostosas punhetas pra gata, que estava de boquinha aberta, linguinha pra fora e pedindo leitinho: “Dá leitinho pra sua cadela, dá.” Dei um verdadeiro banho naquele rostinho lindo, que estava ali ansiosamente aguardando minha porra.

Foi tudo maravilhoso!!!!! Aguardem a continuação.

Deixe um comentário