A proposta do professor safado

Tenho 22 anos, sempre me identifiquei como sendo hétero, tinha algumas curiosidades, mas jamais havia pensado em algo mais. Estou terminando o curso de administração em uma universidade federal, no geral costumo ir bem nas matérias e tudo mais.

No período passado acabei por cair em uma turma com um professor bastante carrasco, provas difíceis, muitos trabalhos. Quando saiu as notas finais, já estávamos em período de férias, mas ficou faltando apenas 3 pontinhos para eu conseguir ser aprovado nessa matéria.

Achei que poderia tentar conversar com o professor, mandei e-mail solicitando um horário, ele respondeu afirmando que poderia apenas no final da tarde. Acabei concordando.

Quando chegou o dia, fui até a universidade, estava praticamente deserta por ser período de férias, me dirigi até o bloco. Quando cheguei na sala, apenas bati na porta e perguntei se poderia entrar. Ele rapidamente respondeu:

-Entre, está aberta!

Sua mesa ficava no final da sala, o ar condicionado estava gelado, fui até sua mesa e me sentei de frente para ele. Acredito que ele tenha por volta de 40 anos, é alto, pele clara, meio malhado para a idade. Assim que me sentei falei:

-Boa tarde, professor! Marquei o horário, pois como deve saber, fiquei bem perto de ser aprovado e como me dediquei ao longo de todo período gostaria de saber se não existe possibilidade de rever minhas notas.

– Infelizmente não arredondo notas, não é o meu papel dentro da universidade, sem contar que como já fechamos as notas seria muito burocracia – ele respondeu de modo firme.

Estava bem desanimado e arrependido de ter ido, não tinha mais argumentos que poderiam me ajudar, quando ele disse:

-Mas fez bem em ter vindo aqui, te reparei ao longo do período percebi que estava se esforçando, uma pena mesmo não ter atingido a nota mínima, mas gostaria muito de te ajudar

Nesse momento seu semblante estava mais descontraído, resolvi insistir então:

-Caso seja possível poderia me passar algum trabalho….

-Sempre existem muitas possibilidades – ele respondeu colocando suas mãos sobre as minhas bem suavemente.

Fiquei em choque, não sabia se aquilo estava realmente acontecendo e se era mesmo o que estava parecendo, jamais havia suspeitado de nada, mil coisas se passaram na minha cabeça em questão de segundos, estava imóvel e não tinha reação para responder. Então ele disse:

– Acalme-se é apenas uma sugestão, nós já somos bem grandinhos para decidir nossas escolhas, queria apenas te ajudar….

Estava ainda sem reação, apesar do seu tom tranquilo, mas resolvi perguntar mais a respeito:

continua depois da publicidade

-Mas então professor, que tipo de trabalho seria esse, seja mais especifico.

Ele se levantou, caminhou lentamente até a porta e a fechou, a passos lentos caminhou novamente até minha direção, se encostou na lateral de sua escrivaninha. Percebi que o volume de sua calça estava maior. Não sabia ao certo o que fazer, por um lado gostaria muito de ser aprovado na matéria e sempre havia tido curiosidade quanto a isso, mas estava com medo de ser descoberto ou de algo dar errado. Resolvi esclarecer de uma vez:

-Se eu fazer você gozar, ganho meus pontos e estou liberado?

-Sem dúvida alguma!! – ele respondeu bem animado já segurando o pau por cima das calças.

Estava determinado a fazer o que tivesse que fazer, pensei que estava com a vantagem, afinal caso alguém descobrisse o escândalo seria ainda maior para ele. Queria ser o mais breve possível. Me levantei e fui até ele, ainda de pé comecei a abrir suas calças e pude sentir seu pau por cima da cueca, não estava totalmente duro ainda.

Me ajoelhei e terminei de abaixar suas calças, pensei que quanto mais tesão ele tivesse mais rápido seria. Comecei a beijar seu pau por cima da cueca, até que criei coragem e tirei para fora, era um pau bem rosado, tinha por volta de uns 16 cm e uma grossura normal. Aproximei bem meu rosto e pude sentir um cheiro agradável de sabonete, tenho certeza que o safado se preparou para essa reunião kk

Ainda não acreditava que estava fazendo aquilo, comecei a segurar seu pau e fazer alguns movimentos, ele se acomodava na escrivaninha, dava pra sentir que estava louco de tesão com aquilo, comecei a chupar lentamente, coloquei primeiro a cabeça dentro da boca, foi uma sensação boa, pude sentir quando seu pau estava ficando totalmente duro, crescendo dentro da minha boca.

Depois disso perdi a timidez, já que estava ali iria aproveitar a situação. Comecei a chupar como gosto que as meninas me chupem, tentava colocar tudo na boca, mamava a cabeça, acariciava e chupava as bolas.

Ele se contorcia na mesa e gemia de tesão, fui aumentando o ritmo, chupava e batia punheta, meu pau estava bem excitado também, descia a língua e chegava bem perto do seu cuzinho, ele ia a delírio, chupei por mais alguns minutos e percebi que ele estava prestes a gozar, não queria sair dali tudo sujo de poha, coloquei o máximo que consegui na boca e segurei suas bolas até que ele gozou.

Uma enorme quantidade de poha inundava minha boca, era bem quente, um pouco grudenta, fui engolindo bem rápido para não fazer bagunça, acabei chupando até a última gota.

Ele se vestiu e sentou em sua cadeira, estava bambo, perguntei então:

-Gostou?

– Foi um dos melhores que já recebi, merece até, mais pontos que precisa hahah

Depois disso nos despedimos, ele cumpriu sua parte no trato e me passou na matéria, depois disso me mandou alguns e-mails querendo repetir a dose, disse que me recompensaria também, ainda não tive coragem de responder os e-mails, acho que o tesão era mais do momento mesmo hahaha.

1 comentário sobre “A proposta do professor safado

Deixe um comentário