O dono do bar me fodeu

Sempre saio para beber depois da faculdade com minhas amigas, mas nesse dia elas estavam viajando em uma excursão e como era de costume todas as sextas-feiras, fui para o bar do Sr. Joaquim, o lugar era ótimo, boa musica e muita bebida. Depois que papai me comeu, nunca mais havia transado com outro homem. Naquele dia estava afim de conhecer alguém, muitos universitários frequentam o local, seria o melhor jeito de arrumar uma pica para saciar minha xaninha que já estava carente de pica.
Alguns garotos começaram a dar em cima de mim, rolou beijos enquanto eu dançava na pista de dança, mas nenhum me deixou animada, não rolava química e aquilo estava me deixando maluca.
Sai então da pista de dança e fui até o bar, para minha surpresa Sr. Joaquim, o dono, estava atendendo como barman pois seu funcionário estava de atestado médico. Sr. Joaquim era um coroa elegante, pinta de empresário, seu corpo não era muito atlético, olhos castanhos, cabelo começando a ficar grisalhos, sua voz grossa de homem me deixou molhada quando com um sorriso perguntou o que gostaria de beber, pensei em falar que queria beber toda a porra que aguentasse dele, mas foi só um pensamento sujo. Todos conheciam Sr. Joaquim, ele era famoso na faculdade pois seu bar tinha a cerveja mais gelada e barata do complexo da faculdade. Com meu sorriso safado, disse que queria vodka pura, ele me olhou com espanto, perguntou minha idade e disse que tinha completado dezoito anos fazia alguns meses, enquanto conversávamos, ele me servia o drink, ficamos nessa conversa um bom tempo, e a cada copo que virava, ele roçava seu cacete, parecia ter gostado de mim.
No quinto ou sexto copo, já estava bem mole e besteiras começavam a sair da minha boca sem eu perceber, quando percebi já estava babando por aquele homem, não tirava os olhos de sua calça.

continua depois da publicidade

Em um momento de consciência, me levantei do banco que estava, tropeçando as pernas consegui chegar até o banheiro, estava usando um vestido curto e sem calcinha, me sentei no vaso para urinar, nem me dei conta que tinha esquecido de trancar a porta.
O banheiro era feminino, apenas um vaso sanitário e uma pia, ainda sentada no vaso só percebi que tinha mais alguém ali quando ouvi o barulho da porta se trancando. Sr. Joaquim me surpreendeu, me levantou e me beijou gostoso de língua, suas mãos desceram até minha nádegas, ele agarrou com força enquanto me sufocava com seu beijo delicioso, já estava louca para ser comida por ele, foi então que me colou sobre a pia, abriu minhas pernas e me chupou melhor que papai, seu bigodinho fazia cócegas e me dava prazer ao mesmo tempo, Sr. Joaquim sabia chupar uma xoxota muito bem, me melei toda, enquanto me satisfazia, uma de suas mãos encontrou meus seios, segurou forte como um homem de verdade, me deixou completamente molhada nessa hora. Aquilo estava maravilhoso, ele se levantou e do seu bolso tirou uma camisinha, nem se quer tirou sua roupa, apenas pela braguilha, Sr. Joaquim tirou seu pau para fora, estava admirada, sua pica estava duríssima, ereta e salivando, vestiu a camisinha e encostou sua pica na minha xaninha, com pequenos movimentos, ele me abria em cima daquela pia, eu gemia gostoso e pedia mais, o safado me chamava de ninfeta safada e sua mão segurava meu pescoço enquanto ele me fodia com gosto. Acho que tive meu primeiro orgasmo ali, estava no ápice, parecia que iria gozar até morrer, a música de seu bar amenizava os gritos de prazer que eu dava, antes de gozar Sr. Joaquim queria me foder por inteira, me desceu da pia e me colocou de pé virada para o ela, meu rabinho agora estava livre para ele, e seu pau parecia farejar meu buraquinho, quando encostou sua pica no meu cuzinho, ele piscou, estava com medo, nunca tinha dado meu cuzinho, nem para papai, mas ele sabia o que fazia, sua pica entrou e eu senti uma pequena dor, ele tirava e colocava bem devagar, a dor foi passando, comecei a sentir prazer com aquilo, o homem parecia que iria morrer, estava urrando de prazer, antes de gozar, tirou seu pau de meu cuzinho, arrancou a camisinha e me fez chupa-lo, me ajoelhei cara a cara com sua pica, abocanhei com gosto, ele delirou quando gozou dentro de minha garganta, me engasguei e ele ordenou que eu tomasse todo seu leitinho, um típico macho controlador e ser controlada por ele me dava mais tesão, estava acada, minhas pernas estavam tremendo e eu estava jogada no chão daquele banheiro. Quando terminou seu serviço, ele se limpou e saiu do banheiro, me deixou jogada ali e só consegui ir embora quando uma colega da faculdade que estava no bar me achou no chão do banheiro e me levou para a casa, para ela apenas disse que havia bebido muito e não me lembrava de nada.

4 comentários sobre “O dono do bar me fodeu

  1. nossa que conto maravilhoso, gostei muito ate bati punheta gozei gostoso, nossa k delicia queria ser esse coroa pra meter gostoso nesse cuzinho e nessa bucetinha

Deixe um comentário