O despertar de um corno

O despertar de um corno

O despertar de corno.

Olá, o conto que irei lhes contar hoje, é muito especial pra mim, pois irei contar como meu hiper desejo por ser um corno foi aflorado de uma forma que nem eu mesmo consigo explicar.

Me chamo Bruno, tenho 30 anos, 1,75 de altura, físico em dia. Minha esposa se chama Sara, 29 anos, 1,73 de altura, físico top (malhado). Seios fartos e uma bundinha maravilhosa. Somos casados a 11 anos e um filho.

A três anos atrás, minha esposa trabalhava como frentista em um posto de gasolina da nossa cidade e eu trabalhava fazendo entregas pela cidade de kombi. Eramos uma família normal, tínhamos aquele ciúme mas nada exagerado.

Com o passar do tempo em que Sara trabalhava nesse posto noto algumas mudanças nela. Sara trabalhava no período da noite, de 17h as 00h mas sempre chegava por volta das 02h da manhã. Ela sempre inventava uma desculpa, dizia que o caixa deu erro, no outro dizia que teve que ficar até mais tarde… enfim, sempre com uma desculpa diferente, e eu claro no começo acreditava nos seus relatos.

Na época,ainda não tínhamos nosso filho. E quando ela chegava eu estava como de costume deitado na cama, mas não dormindo.

Houve um dia em que eu estava morrendo de tesão, louco pra fazer amor gostoso com meu amorzinho, ela chega em casa exausta, suada e logo quer ir tomar um banho. Não deixo, a começo a agarrar e ela meio que relutando para que não a agarrasse, mas insisto, e passo minha mão dentro da bucetinha dela e noto que ela está bem melada, desconfiei e disse:

_ nossa, você já está melada assim?

Ela fica meio sem graça e diz:

_ é, tô! Mas me deixa tomar um banho primeiro?

Com um tom de nervosismo ela foi pro banho, fechou a porta, e quando vou cheirar aqui era um cheiro diferente, lambi pra ver se o que era, e pra minha surpresa era o que eu temia! Era porra!

Fiquei sem chão, sem saber o que faria, se esculachava ela, ou se ficava calado esperando ter a certeza.

Fizemos amor assim mesmo, mesmo com aquilo na cabeça eu fiz já tendo a certeza que era corno. Fizemos e fingi dormir, não dormi a noite inteira, por sua vez Sara dormiu como se tivesse trabalhado 24h.

Pensei a noite inteira, como faria pra ter certeza, e depois de ter certeza o que faria.

Quando eu escuto um som de vibrar vindo da cabeceira da cama ao lado dela o celular que ela tão cansada esqueceu de colocar para bloquear.

Vejo uma mensagem de SMS de um tal de Rodrigo, abro a mensagem que dizia:

_ gostou de hoje?

Resolvi responder como se fosse ela:

_ Sim. Muito!

Ele responde:

_ O cheiro da sua buceta está no meu pau até agora. KKK

Pronto! Tive a certeza que era corno!

Fiquei sem saber o que fazer, pensei em acorda-la no meio da noite, pensei em dar uma surra nessa vadia, várias coisas se passaram na minha cabeça naquele momento, mas aí comecei tentar imaginar outro homem fudendo a buceta da minha Sarinha e meu pau de algum modo começou a subir.

Que merda! Sentindo tesão de ser corno?! Era isso? Não acreditava! Parecia que gostei da ideia!

Mas enfim, apaguei as SMS e tentei dormir, mas antes toquei uma punheta pra relaxar, pensando em outra pica rasgando minha esposa.

De manhã, saio pra trabalhar e Sara ainda está na cama, começo a trabalhar e na hora do almoço, Sara me liga pra avisar que seu patrão mandou ela chegar mais cedo ( havia caroço nesse angu).

Disse que tudo bem.

Inventei uma desculpa qualquer para meu patrão e peço a ele que me libere mais cedo e troco meu carro com um amigo (o carro dele é todo preto, não dá pra ver nada dentro dele).

Chego perto do ponto de ônibus onde ela tem costume de pegar o ônibus para ir trabalhar e nada dela aparecer, do nada encosta um carro prata com o vidro escuro do lado do ponto de ônibus e logo vem Sara, com uma calça legging, e uma blusinha pra realçar seus seios, ela estava linda, mas era pra outro comer.

continua depois da publicidade

Ficaram ali agume tempo (pareciam estar se beijando). Nossa casa fica a poucos metros do lugar, e aí escuto meu telefone tocar, Sara! Me assusto e atendo:

Eu: _ Alô

Ela: _ Amor, você vai chegar que horas hoje?

(Entendi a sertiva da filha da puta)

Eu: _ Olha Sara, hoje está bem agarrado aqui. Só devo chegar por volta das 22h.

Ela: _ está ótimo então! Você vem me buscar no serviço?

Eu: _ Sim.

Pensei comigo. Bom, os filhos da puta devem ir para o motel.

Que nada! Tomaram o rumo da nossa casa!

( Que vadia! Vai dar pra outro dentro de casa?)

 

Partiram para minha casa e eu fui atrás, sem deixar eles perceberem.

Chegando em casa, Sara abriu o portão da garagem e ele entrou com o carro na minha garagem. Estaciono alguns metros da minha casa e vou a pé, entro pelos fundos em total silêncio.

Vou me achegando pelo quintal da parte de trás da casa, dou a volta, passo enfrente a janela do quarto bem quieto e noto que ela esqueceu a porta da sala aberta ( deve que era tanto tesão que a filha da puta esqueceu).
Entro de vagar até chegar na porta do quarto.

Lá dentro barulhos de beijos se estalando, roupas sendo removidas, parecia barulhos de tapinhas na bundinha também, o clima lá estava a mil, e eu só escutando de pau duro!

Escuto também ela fazendo um boquete para ele e dizendo:

Ela:_ que pau gostoso!

Ele: _ chupa delícia! Piranha! Chupa bem gostoso na cama do corno!

Caralho! Que humilhação! Ele me chamou de corno assim!

Dou a volta pra tentar ver algo da janela, e pela fresta que a cortina não tampava, vejo minha linda esposa tomando vara de um cara que tinha uma senhora pica! Ela tomava varada gemendo feito louca e pedindo mais e mais. Como ela gemia alto!

Era por volta de 15h da tarde e Sara sentava naquela rola grossa pra caralho e eu aqui na punheta mais gostosa da minha vida, nunca pensei que pudesse acontecer isso comigo, mas eu estava adorando ver minha amada esposa sendo fodida por outro macho.

Eles acabaram, e eu pra não estragar a festa saio e vou trocar meu carro com meu amigo. Um pouco mais tarde passo no trabalho da minha esposa e vejo o mesmo carro que estava na minha garagem, era de um rapaz que trabalha com ela ( agora eu sei… ela chega tarde em casa pra dar pra ele na rua).

Eu: _ Oi amor, só passei pra dizer te amo! E estou indo pra casa.

Ela: _ Oheu amor também te amo! Tá vendo Rodrigo, meu marido é romântico.

Amor, arruma a cama pra mim? Sai de casa atrasada nem arrumei a cama. Te amo tá?!

Caralho! Que corno que eu sou! Além dela esfregar na minha cara o amante dela eu ainda vou arrumar a cama que ela meteu com outro?!

Observação: a cama estava com cheiro de porra!

Deixe um comentário