Minha primeira experiencia com o ballbusting

Bem, me chamo Jorge, tenho 1,73m, estatura mediana e um corpo definido, tenho 21 anos e vou contar como foi minha primeira experiencia com o ballbusting.

Estava no meu computador, numa noite fria, lendo alguns contos eróticos quando me deparo com um anúncio de uma Domme chamada Sarah, com toda certeza não hesitei e abri (sou muito curioso e interessado por esses assuntos), fui lendo sobre suas sessões e uma em especial me chamou a atenção, a sessão de ballbusting, sempre tive curiosidade mas nunca tive coragem.

Pensei comigo, é hora de ir fundo, vi muitas recomendações de seus serviços e resolvi ligar e agendar uma visita, desliguei o telefone ainda sem acreditar que tinha mesmo agendado uma visita, o coração palpitava insanamente. Pois bem, eu tinha agora apenas 8 dias me separando de uma visita a Ms. Sarah.

A semana foi passando e a expectativa era cada vez maior, ao mesmo tempo uma certa vontade de desistir desta visita e não dar as caras, mas fui me segurando da melhor maneira possível para não desistir, cada dia que passava a ansiedade aumentava.

Chegado o dia da visita, me arrumei e fui ao encontro de Mistress Sarah no horário em que havíamos marcado, ao chegar na porta de sua casa, com as mãos trêmulas, suando frio, toquei a campainha, eis que ela aparece para me atender usando uma bota de látex preta bem convidativa.

Ela veio caminhando calmamente, me cumprimentou, se apresentou, estava muito cheirosa e sempre com muita postura, pediu para que eu me sentasse e me sentisse em casa, partimos logo ao que interessava, queria saber sobre suas sessões, preços, restrições e afins.

Fomos conversando e eu sentia que aos poucos eu ficava cada vez mais relaxado em relação aquela situação, quando enfim chegamos a parte da sessão de ballbusting.

Ela me disse que tinha 5 sessões, que iam desde a mais leve até a mais hard, que por sinal, nenhum homem havia aguentado finalizar a sua sessão nível 5. Ela me disse que a primeira sessão era para iniciantes e amadores que só tinham experiencia bem de leve com o ballbusting, e que ao final da sessão o máximo que poderia acontecer é sair com o saco dolorido.

A segunda sessão já tinha uma maior intensidade e ao final o saco poderia estar vermelho e um pouco inchado. Já na terceira sessão os golpes teriam intensidade mediana, poderiam também ser utilizados objetos para a tortura além de socos, tapas, chutes, joelhadas e pisões.

Aos poucos comecei a ficar nervoso novamente, e ela seguia dizendo, no quarto nível posso usar muitos objetivos diferentes e aplicar golpes fortes, você pode sair com hematomas e o saco bem inchado e dolorido. Já no nível cinco eu uso de golpes extremamente fortes, além dos diversos objetos que posso usar, e ao final você ganha uma marca como “troféu” por ter completado a sessão para nunca se esquecer.

Me mostrei muito indeciso até que ela me perguntou –

“ Voce gostaria que eu te desse um chute para demonstrar a força que vou usar em cada sessão ?”

Prontamente respondi que sim, levantei e abri as pernas, ela veio e deu um chute bem fraco, praticamente nem senti dor, ela disse que esse foi o nível 1, em seguida veio e deu um chute um pouco mais forte, que ainda assim não foi suficiente para me fazer bambear, o chute do nível 3 veio em seguida e já dava pra notar no meu rosto uma expressão de dor, aquele pegou em cheio, ela tinha mesmo o jeito de chutar.

Me deu alguns segundos para recuperar o folego e então me deu um chute do nível 4, na hora a perna tremeu e eu quase ajoelhei, me deu mais alguns segundos e deu o ultimo chute, com muita força, que na hora eu cai no chão e fiquei la me contorcendo de dor por alguns minutinhos.

Após algum tempo pensando, não sei por que motivos, mas eu resolvi fechar logo uma sessão nível 5, já que era para experimentar, que fizesse direito e muito bem feito.

Paguei pela sessão, marcamos o dia e a hora, agradeci e fui para casa, no meio do caminho me peguei pensando porque tinha fechado aquela sessão sem nunca ter praticado isso antes, mas enfim, “ta feito”, pensei.

A primeira semana se passou e quanto mais perto da data marcada, mais nervoso eu ia ficando, e nesse ritmo os dias foram se passando até que chegamos ao dia da sessão. Já havia pensado em desistir algumas vezes, mas no fim das contas resolvi encarar, me arrumei e segui para o local combinado, cheguei 5 minutos antes do horário marcado e ela já estava la a me esperar.

Me recepcionou e logo me guiou para o quarto onde toda a mágica iria acontecer, ordenou que eu tirasse a roupa e me disse que a partir daquele momento, dentro daquele quarto, eu tinha direito a não ter direitos, a menos que eu usasse a safe word para encerrar a sessão imediatamente.

Obedeci, enquanto eu tirava a roupa ela ia pegando alguns acessórios e deixando espalhados pelo quarto, logo que terminei, ela amarrou minhas mãos nas costas e ficou alguns minutinhos me encarando com um olhar sádico e sexy, e eu delirando com suas belas curvas e suas roupas de látex preta.

Eis que ela resolveu entrar em ação, começou a me masturbar e me deixar a vontade, para poder começar a me torturar de verdade, eu já com muito tesão e imaginando mil coisas que ela poderia fazer, comecei a ficar mais tranquilo, e foi ai que ela começou, começou com alguns tapas no saco, bem de leve, foi aumentando e acompanhando as minhas expressões.

continua depois da publicidade

Ela envolveu minhas bolas com uma mão, foi dando uma apertada para deixar elas expostas e deu alguns socos bem servidos, eu apenas sentia a dor, um tesão inexplicável e ficava observando o quanto ela gostava daquilo.
Após se aquecer ela me disse calmamente, agora sim você vai sentir o que tanto esperava, mandou eu me ajoelhar e ficar de costas para ela com a perna bem aberta, e avisou que daria 15 chutes, e cada vez que eu emitisse algum som de dor, ela daria 1 chute a mais.

Ela me deixou naquela posição por alguns minutos para aumentar a tensão, e então deu o primeiro chute certeiro em minhas bolas, soltei um gemido e ela logo disse, mais 1 na conta, e assim foi indo, ela dava pausas entre um chute e outro para que eu fosse pego de surpresa e sentisse mais dor. Tomei 1, 2, 3, 4…16 e cada chute uma dor muito grande tomava conta de mim, dor que subia para o estômago e dominava meu corpo, ao fim foram 37 chutes até onde pude contar.

Ao terminar os chutes ela disse que resisti bem a essa primeira etapa da sessão e que a etapa seguinte seria bem curta porém muito dolorosa, ela colocou 2 anéis no meu pênis para deixara minhas bolas bem expostas sem precisar ficar segurando, pegou um martelo de carne, isso mesmo, um martelo de carne e disse que iria me dar 10 batidas, sem acrescentar mais batidas caso eu expressasse dor, então já esperei que seriam bem doídas.

Ela começou, deu a primeira, um pequeno intervalo, deu a segunda, e assim foi seguindo, 3,4…8 e enfim terminou as 10, eu já estava a ver estrelas, e aquela dor dominando todo o meu corpo saindo do saco, indo para o estômago e se espalhando.

Iniciamos a terceira etapa, que segundo ela, consistiria em joelhadas alternadas com socos e que não faria uma contagem, apenas ia bater o quanto ela quisesse e assim o fez. Deu a primeira, a segunda, foi alternando, e la fomos 4,5,6…16…33…50.

Uma dor insuportável e um tesão muito maior, nunca pude imaginar que seria tão gostoso embora doesse tanto, e com toda certeza ela não pode deixar de reparar o quanto eu estava gostando, minha ereção estava absurda.

Tomamos um pequeno fôlego e então ela começou a me masturbar, me deu algumas chupadas e começou a me deixar a ponto de gozar, porque agora ela iria me mostrar como exercer pleno domínio sobre um cara como eu, ela masturbava cada vez mais intensamente e me mandava dizer quando estava perto de gozar, e cada vez que eu chegava perto de gozar ela me dava vários golpes extremamente fortes no saco até passar a minha vontade de gozar, desta formas seguimos por bons minutos e ao final ela não me deixou gozar.

Chegamos então a penúltima etapa da sessão, onde ela me disse que nenhum cliente havia passado desta etapa, e que eu poderia ser o primeiro deles, ou poderia ser apenas outro a desistir antes do fim da sessão. Me prontifiquei em dizer que queria muito concluir a sessão, então ela colocou um uma outra bota, com uma ponta muito fina, e me colocou num aparelho que praticamente separava minhas bolas, uma extremamente exposta para a direita e a outra para a esquerda.

Ela me disse que seriam 25 chutes em cada com aquele salto, e que se eu passasse desta etapa já teria praticamente concluído a sessão.

Ela começou, e no sétimo golpe desmaiei de dor.

Alguns minutos desmaiado e fui enfim acordado por Sarah que perguntou se eu queria desistir um continuar, prontamente pedi para seguir com a sessão.

Os golpes pareciam não ter fim, ela terminou os primeiros 25 e começou os outros 25.

A dor era imensurável, e depois de um longo período ela terminou.

Eu não sabia se ficava aliviado ou mais nervoso pela etapa final, ela me disse que era então chegada a hora de deixar uma marca para que eu nunca me esquecesse desta sessão, que definitivamente marcaria minha vida, ela acrescentou novamente os anéis no meu saco para deixar ele bem exposto, me deitou embaixo de uma mesa bem baixa, que tinha apenas um buraco no meio para ficar meu pau e meu saco sobre a mesa.

Ela subiu na mesa com aquele salto extremamente fino e disse que iria doer, mas passaria.

Subiu sua perna e num golpe rápido e certeiro perfurou o meu saco com o seu salto, prontamente fez um curativo e me parabenizou por ter sido até então o único cliente a completar a sua sessão.

Me despedi de Sarah e fui para casa com muitas dificuldades para andar, passado o primeiro mês, a sua marca já havia cicatrizado, meu saco já estava normal novamente, e com toda certeza aquilo marcou a minha vida, uma das melhores, se não a melhor sessão de ballbusting da minha vida.

Depois dessa com certeza eu visitei Mistress Sarah muitas vezes e me tornei um cliente assíduo, ninguém era capaz de me dar mais prazer com o ballbusting do que Sarah.

Mas as outras sessões podem ficar para os próximos contos, espero que tenham gostado.

Deixe um comentário