Transei com minha vizinha e com a nossa sequestradora

Estava colocando o saco de lixo na lixeira quando o portão da casa vizinha se abriu. Era daqueles automáticos que se levantava devagar. A falta de lubrificação provocava um ruído desagradável. A traseira de um veículo apontou. O ocupante, o chato do meu vizinho, nem se preocupou em me cumprimentar, partindo acelerado para o lado … Ler maisTransei com minha vizinha e com a nossa sequestradora

A perfumaria

A missão dele não seria muito fácil, teria que ir até a perfumaria e comprar tintura de cabelo para uma amiga. Como jamais havia realizado esse tipo de negócio, ele guardou o print no celular e dirigiu-se até o local. Já era tarde, quase 20:00 horas e a loja estava quase fechando. Conseguiu convencer o … Ler maisA perfumaria

A lanchonete

Seria apenas mais um dia de trabalho, nada de anormal parecia que iria ocorrer. Ele se levantou como de costume, tomou banho, fez seu micro tratamento estético diário, passou e tomou o café espetacular que costumava fazer. Sentou-se no braço do sofá, enquanto observava o movimento na rua, ainda eram 06:00 horas, via pessoas transitar … Ler maisA lanchonete

A primeira noite

Como de costume, ela encontrava-se no canto, lendo um livro, degustando um chá na manhã fraternal de outubro. Elegante, madura, loira, cabelos encaracolados, vestia calça social preta, camisa preta e branca, com desenhos incompreensíveis, mas que não diminuíam a elegância das vestes. Sapato preto, salto alto, fino. Parecia a deusa da elegância, pernas cruzadas, mãos … Ler maisA primeira noite

Esconder
Mostrar