A atriz pornô

Em tempos nos quais nós, homens, tínhamos que praticar verdadeiras aventuras para ter acesso à algum conteúdo pornográfico e erótico, havia uma atriz que lhe chamava a atenção em demasia, Keyla Keyla. era morena, baixinha, bunduda, com seios fartos, olhos castanhos mel e cabelos encaracolados longos. Fazia filmes amadores, inclusive com estranhos. Chegou a contracenar … Ler mais

O elevador

Algumas coisas na vida são reprovadas pela sociedade, mas parte delas, quando estão prestes a ocorrer, parecem não ser possível serem evitadas. Entre essas, posso mencionar algo que me ocorreu semana passada. Moro em um prédio de apartamentos, fato que facilita para que você tenha um “convívio” com várias outras pessoas, desde o “bom dia” … Ler mais

A procuração

Fazia tempos que eles não se falavam, ele andava se ocupando com várias coisas, inúmeros projetos aos quais achava não daria conta. Ela, estava bem, vivia a vida no mais perfeito “o que passou, passou”, e vida continua. Mas a vida prega surpresas, monta as inúmeras armadilhas. Fazia anos que ela já estava casada, dois … Ler mais

A bibliotecária de direito

No início ninguém conhecia ninguém, tratava-se de um apunhado de desconhecidos que tinham um único anseio: o diploma de Direito. Era o primeiro dia de faculdade, cada um sentava-se no lugar que escolhia, sem regras, sem réguas, sem castigos, todos ali já eram adultos ou tratados como tais. A primeira aula, Direito Civil, deliciosamente ministrada … Ler mais

Conto erótico sobre a festa da empresa

Meu nome é Marcelo, sou negro com um corpo malhado e tenho 1,73 de altura e devido ao serviço de vez enquanto tenho que viajar.

A filial da empresa onde trabalho fica em uma cidade no interior de SP, e em uma dessas visitas saindo para almoçar, na praça de alimentação eu vi uma gordinha que me deixou completamente louco.

Linda, japonesinha de pele lisinha como neve no começo do inverno, quadril lindo, largo e gostoso, uma bunda empinada e seios deliciosos, uma boca pequena e linda.

Ler mais

Sendo usado e gostando

Tinha 18 anos e era soldadinho do Exército Brasileiro, quando fui vítima daquilo que podemos chamar de “abuso sexual”. Alguns meses antes (e eu ainda seria de menor), teria sido quase um episódio enquadrado como pedofilia. Mas isso não vem ao caso agora. No vigor dos meus 18 anos, portanto, meus pais estavam passando temporada … Ler mais